Skip links

LinkedIn sobe 109,4% no primeiro dia de bolsa

A rede social profissional LinkedIn fez a sua estreia em bolsa, e fechou a sessão a cotar nos 94,25 dólares, ou seja + 109,4% dos 45 dólares por acção definidos para a Oferta Pública de Aquisição (IPO – Initial Public Offer). A capitalização bolsista do LinkedIn ficou nos 8,91 mil milhões de dólares.

O LinkedIn tem 100 milhões de utilizadores registados e foi considerado pela revista FastCompany como uma das mais inovadoras deste ano (posição número 24).

Veja o video com a equipa do LinkedIn a abrir a sessão da bolsa de Nova Iorque (NYSE):

19 May 2011 LinkedIn rings the NYSE Opening Bell

Evolução da cotação das acções do LinkedIn (antes e depois da OPV).

The following chart shows the price of LinkedIn’s common stock over the last year on the private markets, and then, today, on the public market.

Fonte: Business Insider

Sobre o LinkedIn:

Tags:

Leave a comment

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

  1. Eduardo,

    Eu gosto de seguir o método do Waren Buffet, perceber se estamos perante um “Monopólio de Consumidores” ou uma “Portagem na Ponte”.
    Tendo, claro em atenção a contabilidade da empresa, mas no caso das dot.com é também importante avaliar outros indicadores. 🙂

  2. Nuno, é certo que estas avaliações exageradas podem servir para que as empresas do sector tenham uma moeda de troca para fazerem aquisições entre si. Fala-se também no valor das marcas, embora a evidência empírica não sustente que uma empresa como a Coca Cola deva transacionar mais cara devido à sua marca. Eu cá, a avaliar empresas, sou conservador: múltiplos de mercado e cash-flows descontados

  3. Eduardo,

    A avaliação das dot.com não segue a lógica da racionalidade de indústrias tradicicionais.

    O Linkedin muito provavelmente vai acabar por ser adquirido por algum dos gigantes (Google, Apple, Microsoft, Amazon.com,…), e integrado num destes ecossistemas pode ser um activo muito precioso.

    Por exemplo, se o Google adquirir o Linkedin e o utilizar como forma de integrar com o Google Apps e desta forma as empresas e os seus colaborarores passarem a utilizar as restantes plataformas do Google e de parceiros/App Market e o Linkedin se transformar numa plataforma B2B mundial?

    É desta forma que o mercado avalia o potencial de empresas como o Linkedin.

    Assistiremos nos próximos meses a muitas aquisições fusões na área de Media, Telecom e Dot.com