não-ha-mercados-apenas-clientes