Voltar ao topo

Apple não sente a crise europeia

Nos últimos dois anos a Apple (assim como muitas multinacionais) reforçou a aposta nos mercados Asiáticos e da América Latina. Dois motivos justificariam este “movimento” : entrar em novos mercados de grande potencial e antecipar a recessão económica que  se vive na Europa.

Mas,  a Apple não sente os efeitos da crise europeia. Ao contrário de outras empresas do S&P 500 a Apple deverá apresentar no mercado europeu um crescimento de 32,3%  no segundo trimestre face ao primeiro trimestre do ano. O que complementado com a entrada em novos mercados emergentes antecipa mais um trimestre extraordinário nos resultados da maior empresa do mundo. 

Veja o gráfico comparativo:

apple europe q2 revenue

Fonte: Business Insider

Author avatar
Nuno Ribeiro
Country Manager da agência de inovação FABERNOVEL. Autor do livro Gerir na Era Digital (2011). Licenciado em Economia pela Universidade Católica de Lisboa, onde também concluiu um curso avançado de Gestão de Empresas Tecnológicas e uma pós-graduação em Gestão de Media e Entretenimento. Diretor a unidade Negócio Multimédia do grupo Controlinveste (2008 a 2012). Diretor da unidade de negócios de Internet do grupo Cofina Media (1999 a 2008). Consultor do secretário de Estado da Comunicação Social para a área digital (1997 a 2002).
We use cookies to give you the best experience.