Scroll to top

Microsoft apresenta Surface [Video]

A Microsoft apresentou em Los Angeles o Surface, que nas palavras de Steve Ballmer – CEO da Microsoft – é um PC que é um Tablet e um Tablet que é um PC.
Ou seja, uma nova categoria de dispositivo que pode concorrer com os tablets e com os ultrabooks.

Ainda é cedo para perceber o potencial de sucesso do Surface, não tem ainda datas de lançamento para os diferentes mercados nem preços.

Tim Cook – CEO da Apple, em entrevista no passado dia 29 de Maio na conferência D10 do Wall Street Journal – AllThingD, antecipando o lançamento do Surface da Microsoft referiu que é pouco inteligente usar o “legado” do PC para criar um tablet. E acrescentou, como analogia: “…podemos transformar (fazer convergir) uma torradeira num frigorifico, mas corre-se o risco de não conseguir fazer o melhor produto neste caso particular (tablets)”.

Veja a apresentação:

Author avatar
Nuno Ribeiro
Country Manager da agência de inovação FABERNOVEL. Autor do livro Gerir na Era Digital (2011). Licenciado em Economia pela Universidade Católica de Lisboa, onde também concluiu um curso avançado de Gestão de Empresas Tecnológicas e uma pós-graduação em Gestão de Media e Entretenimento. Diretor a unidade Negócio Multimédia do grupo Controlinveste (2008 a 2012). Diretor da unidade de negócios de Internet do grupo Cofina Media (1999 a 2008). Consultor do secretário de Estado da Comunicação Social para a área digital (1997 a 2002).

2 comments

  1. Penso que deveriam alterar o título para Surface Keynote. O verdadeiro Surface é já um produto antigo e até existe DYI na net com bons resultados práticos. Eu achei o título enganador. Até vim aqui mais para “mandar vir” do que propriamente para ler.
    Basicamente, a MS continua um passo atrás dos concorrentes… 🙂 Nada que um ASUS Transfomer não faça a não ser suportar aplicações desktop num tablet… não me parece boa política… Enfim!

  2. Nuno Amaral Frazão

    Estrategicamente brilhante – a vários níveis !!!

    Numa análise macro este passo no sentido dos tablets não compromete a relação com a Nokia e reforça a presença da MS junto do consumidor nas áreas de entretenimento e conteúdos – onde a MS tem investido fortemente nos últimos anos (Xbox e MSN).

    Poderia parecer um negócio 2-em-1 mas na verdade até é muito mais que isto pois com o Surface é o que faltava para fechar o ciclo do consumo de media (informação e/ou entretenimento).

    1. Boost ao nível do software e conteúdos
    Sabendo que este “tablet” irá correr em Windows 8, todas as funcionalidades dum PC serão possíveis, nomeadamente a utilização de aplicações, jogos e acesso à Net. Neste contexto parece-me que os Services Cloud da MS e o Windows Live ID ganham outra dinâmica. Assim, tudo ganhará maior dimensão, Hotmail, Bing, MSN,… tudo.

    2. Big Step – No contexto da Media Digital
    Considerando que o Windows Live ID é uma feature transversal aos devices PC, Xbox, Windows Mobile e agora Surface, configura-se um cenário tecnológico onde a publicidade digital assumirá por um lado, maior amplitude – mais disponibilidade e acesso a conteúdos e funcionalidades, e por outro, uma lógica de Behavioral Targeting não apenas indexada aos conteúdos mas também ao device que é usado – o que pressupõe a localização tipo (não georeferenciada).

    Por exemplo, a consulta de notícias de manhã através de PC pressupõe um acesso no trabalho (ou na Escola) mas a consulta através do Surface (tb a notícias e na mesma hora) pressupõe que o utilizador esteja num local público, eventualmente um café/pastelaria. Isto, em termos de media online não é novo, contudo a existência do Surface em conjunto com o Windows Live ID, dá-nos a informação que faltava para podermos desenhar com maior precisão o consumo de media por perfil – e isto sim é que é Behavioral Targeting à séria !

    3. Em termos de vendas – hardware.
    Antecipa-se que o Surface seja outro sucesso de vendas à semelhança do que aconteceu com a XBOX 360 que, no final de 2011, fechou com o 2º lugar de vendas de consolas de jogos (em 1º ficou a WII e em 3ª a PS3 com nº de unidades vendidas muito próximo da XBOX 360). Serão provavelmente factores críticos de sucesso das vendas o preço do Surface e os tarifários de dados associados ao produto.

We use cookies to give you the best experience.