A startup japonesa AgIC concebeu uma caneta com tinta de prata que cria circuitos elétricos, permitindo reduzir os custos de produção de qualquer tipo de eletrónica.