DESTAQUES GAFANOMICS® [19/MAI/2017]

patricia

Por: Patrícia Silva, Gestora de Comunicação e Marketing na FABERNOVEL INNOVATE Lisboa

“Destaques GAFAnomics®” é uma compilação dos artigos mais importantes partilhados internamente pela equipa da FABERNOVEL. Aqui, encontrará a sua “torrada de inovação” sobre as últimas novidades da Network Economy. 

Google quer liderar na inteligência artificial

google_lensDurante a conferência anual para programadores, I/O, a Google introduziu uma nova tecnologia que utiliza machine learning para fornecer informações e contexto sobre a imagem que a câmara do smarphone está a captar, transformando-a num poderoso portal de pesquisa. Esta tecnologia de inteligência artificial será integrada na App de fotografias, identificando, automaticamente, objetos e locais; e também na assistente virtual, Google Assistant, de forma a fomentar uma conversação com base naquilo que o utilizador está a observar.

Desta forma, a gigante da Internet poderá criar novas oportunidades para impulsionar a sua maior fonte de receitas, a publicidade, e elimina um ponto de “atrito” nas pesquisas, poupando aos utilizadores a necessidade de escrever para pesquisar.

Tal como a Apple, o Facebook ou Snapchat, a Google está a adotar a câmara como interface, posicionando-se para a próxima vaga de tecnologia, centrada na voz e na imagem, e para um futuro “pós-smartphone”, focado na realidade aumentada.

Uber oferece opções de transporte multimodal

A Uber criou uma parceria com a App Transit e vai passar a mostrar, em tempo real,Uber_Transit informações sobre os horários de partida de comboios e autocarros que prestam serviços de mobilidade em estações próximas do ponto de largada de passageiros da Uber.

Encorajar os utilizadores a utilizar outros meios de transporte pode parecer algo contra o seu interesse de negócio, mas, na verdade, a Uber está a ir ao encontro das necessidades dos seus clientes, melhorando a conveniência do seu serviço.

A Uber é uma empresa data-driven, pelo que conhece bem a forma como os seus clientes se deslocam nas cidades e sabe que utilizam diferentes meios de transporte. Com esta nova funcionalidade, está a criar um serviço com valor acrescentado e uma experiência mais fluída que evita que os clientes tenham de abrir outra aplicação para verificar informações sobre os serviços de transporte público.

Hyperloop de Elon Musk aproxima-se a alta velocidade?

boring_companyA Boring Company, empresa de Elon Musk que irá construir túneis para melhorar o trânsito nas cidades, fez uma atualização sobre os seus planos futuros. Para além do transporte de automóveis e bens, os túneis servirão de vias para… o sistema de transporte terrestre de alta velocidade Hyperloop!

Com este projeto, Elon Musk revela, uma vez mais, uma das características mais marcantes dos líderes da nova economia: uma visão a longo prazo. Através da Boring Company, Musk está a testar de que forma pode construir túneis, mais rápido e com menores custos, que possam ser utilizados para tornar o Hyperloop uma realidade.

Esta é a mesma abordagem que teve na SpaceX, por exemplo, na qual o objetivo era diminuir os custos de acesso ao Espaço através da construção de foguetes reutilizáveis.

Como a Amazon está a “engolir” o mundo

jeff_bezosA Amazon é apontada como uma das grandes candidatas a atingir uma capitalização bolsista de 1 bilião de dólares (para os americanos 1 trilião). Como é que a gigante de e-commerce chegou a tal posição? A empresa transformou cada componente do seu negócio numa plataforma aberta a terceiros, que lhe permite melhorar de forma contínua internamente.

O programa Fulfillment by Amazon é um exemplo flagrante. A Amazon armazena nos seus centros e distribui os produtos das marcas que vendem na Amazon.com. No entanto, também presta este serviço a marcas que não estão no seu marketplace. O nível de disciplina exigida para operar um serviço com este nível de complexidade, dado o elevado número de marcas externas, resulta num benefício tremendo para a operação interna da Amazon. E díficil de replicar por qualquer empresa concorrente.

O mesmo se aplica à Amazon Web Services (AWS), por exemplo. O serviço Amazon Connect (um centro de contactos na cloud fornecido pela AWS) baseia-se na mesma tecnologia utilizada nos call centers da Amazon. Esta é uma estratégia chave para melhorar as ferramentas internas da empresa: se, do ponto de vista comercial, o Amazon Connect falhar, a Amazon tem um indicador mensurável de que as suas ferramentas internas estão a ficar “atrás” da concorrência.

Este é o antídoto presente em todo o ecossistema da Amazon, que lhe permite aumentar a eficiência e manter uma constante inovação tecnológica.

Tagged with: