Calm e Dreem, o futuro do sono e do bem-estar

  • A Calm e a Dreem desenvolvem produtos e serviços centrados no utilizador, para uma melhoria do sono e bem-estar.
  • O negócio das duas startups insere-se num mercado de 69,5 mil milhões de dólares, a nível mundial.

 

À medida que a privação de sono se torna uma epidemia global, a Calm e a Dreem desenvolveram produtos e serviços centrados no utilizador, para uma melhoria da qualidade do sono e do bem-estar. Este é um mercado de 69,5 mil milhões de dólares, a nível mundial.

A Calm escalou o seu negócio através da criação de um novo produto com conteúdos exclusivos. A app da startup integra sessões de meditação, Sleep Stories (para adultos e crianças), aulas em vídeo sobre mindfulness e músicas exclusivas para melhorar a concentração, relaxamento e sono.

A empresa está a criar uma marca de lifestyle, seguindo uma estratégia “Nike” de criação de uma marca com base no movimento de “fitness” mental. Desta forma, pode impulsionar o seu crescimento através da integração de novos conteúdos centrados na saúde mental, que vão para além do mindfulness e da meditação.

A startup tem mais de 1 milhão de subscritores, espera gerar uma receita de 80 milhões de dólares, em 2018, e atingiu uma valorização de 250 milhões de dólares, em 6 anos.

Neurotecnologia para transformar o sono

A Dreem é uma startup de neurotecnologia que também está a transformar o sono. Desenvolveu um wearable que permite monitorizar a atividade cerebral, o batimento cardíaco, a respiração e o movimento ao longo da noite.

O wearable inclui sensores, eletrónica com algoritmos de machine-learning e processamento de sinais vitais e transmite ao utilizador, através de áudio, técnicas de relaxamento. Desta forma, recolhe e analisa os dados e ‘responde’, em tempo real, para melhorar a qualidade do sono, através da transmissão de sons.

Os dados são disponibilizados na app Dreem Coach, que ajuda os utilizadores a intepretar as informações, ao simplicar os diagnósticos. Através de uma monitorização permanente, a startup oferece um feedback e recomendações personalizadas ao estilo de vida e, com isso, recolhe um histórico relevante de dados relativos ao sono.

A Dreem (fundada em 2014) captou um investimento total de 57 milhões de euros e inclui no grupo de investidores a Johnson & Johnson e o BPI France.

 


A transformação na indústria da saúde é importante para a sua empresa? Contacte a FABERNOVEL:

Tagged with: