• A Fieldwork Robotics criou um robô que apanha frutos de pequena dimensão, com um cuidado impressionante que garante que não sejam esmagados.
  • A expectativa da startup é que seja capaz de colher 25 mil frutos silvestres por dia em explorações agrícolas. 

Liderada pelo português, Rui Andrês, a Fieldwork Robotics responde à falta de mão de obra na agricultura com o apoio da robótica. O robô desta startup britânica destina-se a apanhar frutos de pequena dimensão, como framboesas, morangos e mirtilos. 

Estes robôs são equipados com sensores e câmaras, e através de inteligência artificial, são capazes de identificar quando é que os frutos estão maduros. Depois, os seus 4 braços robóticos, com componentes impressas em 3D, fazem a colheita dos frutos com um cuidado impressionante que garante que não sejam esmagados.  

A expectativa da startup é que sejam capazes de colher 25 mil frutos silvestres por dia. Ou seja, mais 10 mil frutos do que uma pessoa é capaz de colher num dia de trabalho.

Neste momento, os robôs da Fieldwork já estão a operar em explorações agrícolas em Portugal.

O objetivo da startup é estender a utilidade dos robôs também para a apanha de tomate e de couve-flor. 

Uma das grandes propostas de valor deste sistema é o facto de ajudar os agricultores a evitar a apanha tardia que leva a que a fruta seja vendida por uma fração do preço. 

Fundada em 2016, a Fieldwork Robotics nasceu de um spin-off da Universidade de Plymouth, no Reino Unido.