Voltar ao topo

Apple: Resultados do melhor trimestre de sempre

As acções da Apple estiveram desde meados de Junho com uma tendência de descida, e as recentes notícias sobre os “problemas” da antena no iPhone 4 assustaram o investidores que provocou uma descida até aos 245 dólares na segunda-feira. Hoje, recuperaram para os 251,89 dólares (+ 2,56%), por acção na expectativa de bons resultados.

Desde 2006 que a Apple surpreende consecutivamente todos os trimestres superando as expectativas, o último trimestre não foi excepção e os resultados apresentados foram os melhores de sempre apresentados pela Apple confirmando a elevada capacidade operacional demonstrando uma performance e invejável na de criação de novos produtos e no domínio de vários mercados em que actua onde constrói “Portagens na Ponte” e “Monopólios de Consumidor”

Análise de resultados no trimestre (Q3 Homólogo)
– 2010 Vs 2009
Dólares
2010 (Junho)
2009 (Junho)
Variação
Receitas (Mil Milhões)
15.700
9.734
+ 61,29%
Lucro (Mil Milhões)
3.253
1.828
+ 77,95%
Lucro por Acção
3,51
2,01
+74,63%
Análise de resultados no trimestre Q 3 Real Vs Estimativas
Dólares
2010
2010 (Estimativa)
Variação
Receitas (Mil Milhões)
15.700
14.750
+ 6,44%
Lucro por Acção
3,51
3,11
+12,86%
Acumulado do ano (Nove Meses – homólogo) –
2010 Vs 2009
Dólares
2010
2009
Variação
Receitas (Mil Milhões)
44.882
30.698
+46,2%
Lucro (Mil Milhões)
9.705
5.703
+ 70,17%
Lucro por Acção
10,51
6,3
+66,83%

Esta é a evolução das receitas da Apple por cada um dos produtos e serviços. O iPad é já a terceira maior fonte de receitas da Apple, ultrapassando o iPod.
Destaque também para as receitas de Mac (iMac e Macbook).

 

Fonte: Business Insider

 

Consulte os resultados e ouça a conferência de imprensa de apresentação dos resultados – Clique Aqui

 

Author avatar
Nuno Ribeiro
Country Manager da agência de inovação FABERNOVEL. Autor do livro Gerir na Era Digital (2011). Licenciado em Economia pela Universidade Católica de Lisboa, onde também concluiu um curso avançado de Gestão de Empresas Tecnológicas e uma pós-graduação em Gestão de Media e Entretenimento. Diretor a unidade Negócio Multimédia do grupo Controlinveste (2008 a 2012). Diretor da unidade de negócios de Internet do grupo Cofina Media (1999 a 2008). Consultor do secretário de Estado da Comunicação Social para a área digital (1997 a 2002).
We use cookies to give you the best experience.