Disney: Magic Band e os wearables no turismo

Disney-MagicBand-380x249Na recente conferência D11 do blog AllThingsD do Wall Street Journal, Thomas Staggs – presidente  da Walt Disney Parks and Resorts apresentou a Magic Band. A Magic Band é muito mais do que uma simples pulseira colorida que muitos resorts utilizam para identificar visualmente os seus clientes. A Magic Band é atualmente o melhor exemplo do que serão os wearables que irão inundar o mercado nos próximos anos.

Mais relevante é o facto de ter sido uma empresa que opera na área do turismo a avançar com este dispositivo e não uma tecnológica… os parques da Disney são “mini-cidades” com um ambiente controlado, e por isso, o local perfeito para um teste e experiência completa na utilização de wearable, neste caso em formato de pulseira.
Trata-se de uma experiência, não apenas relevante para as empresas tecnológicas, mas sobretudo para as empresas na indústria do turismo (transportes, hotéis, restaurantes, lojas, museus, exposições, etc.).

Já todos sentimos a importância dos novos dispositivos móveis e das suas aplicações na forma como alterámos a forma de pesquisar, comprar, aceder  a produtos e serviços como a comentar e recomendar os mesmos. Estas tendências, aumentaram com o crescimento dos dispositivos móveis e o que assistimos agora é apenas a ponta do iceberg do que iremos assistir com o crescimento dos wearables (pulseiras, óculos, roupa, … ) e dos dispositivos ligados (televisões, automóveis, frigoríficos, torradeiras,…).

Regressemos, ao presente. Quais as funcionalidades que a Magic Band da Disney permite?

Quando agendamos uma estadia num parque da Disney , recebemos uma caixa dos personagens da Pixar/Disney “Os Incríveis” com uma Magic Band para cada elemento da família. E com esta, temos acesso ao quarto do hotel (acabam os cartões magnéticos), reservamos e escolhemos a ementa do restaurante e uma vez sentados à mesa a refeição será servida (pois o restaurante sabe que já chegámos e que já estamos na mesa). Também, serve como meio de pagamento nas lojas, podemos reservar as diversões (fastpass), somos identificados com nas fotos, sabem se é dia de aniversário, lua-de-mel,… e as personagens da Disney (que vão falar em breve) passam a tratar-nos pelo nosso nome.

Veja o video com Edna Mode (personagem d´Os Incríveis), a apresentar e explicar o funcionamento da Magic Band:

 

Do lado do negócio, a gestão terá enormes ganhos com informação em tempo real: onde estão os visitantes, o que estão a fazer, como comentam os nossos serviços o que obrigará a optimizar os serviços e logística associada, etc.

É uma enorme quantidade de informação (Big Data) a ser processada em tempo real e com novos algoritmos a processarem informação integrada com Social CRM (customer relationship managment).
Já não há dúvidas sobre as alterações que vamos sentir em breve, neste caso aplicado ao setor do turismo, mas que será transversal a todas as indústrias.
As API´s (Application Programming Interface), serão vitais para a integração de informação e redução dos custos na adaptação de sistemas de informação nesta mudança.

Esta iniciativa dos Parques da Disney são o primeiro grande teste para entender o impacto numa “mini-cidade”.
Vale a pena relembrar a parceria e relação entre a Disney e a Apple, e o facto do Presidente e CEO da Disney – Bob Iger ser também membro da administração da Apple… como dizia Steve Jobs, “juntem os pontos”...

Nota: Para mais informação sobre como as API´s podem ajudar a mudar o seu negócio, consulte o estudo da agência de inovação faberNovel:
6 motivos pelos quais os API´s estão a mudar os negócios, ou como explicar ao seu CEO porque é que deve saber o que são API´s.

Relacionados:

D11: Análise à conferência do WSJ [Video]
– Disney, Pixar e Marvel

Tagged with: