Google intensifica aposta no setor das viagens

A Google tem apresentado uma série de novidades que mostram que está fortemente empenhada em reforçar a sua posição na indústria das viagens online. E isto é particularmente significativo para a gigante da Internet uma vez que o mobile tornou-se numa plataforma privilegiada para quem viaja (mais de metade das reservas de viagens online este ano deverão ser realizadas via mobile e em 2019 a quota deverá chegar a quase 70%).

O forte domínio da Google na área da pesquisa mobile, graças a serviços como o Google Search ou Google Maps, poderá servir de catalisador à adesão dos utilizadores a serviços lançados pela empresa nesta área, tais como o Google Destinations (permite comparar preços de hotéis e tarifas de voo), Google Trips (fornece uma plataforma para monitorizar alojamentos e outras reservas) ou Google Flights (pesquisa de voos), que agora tem uma nova funcionalidade. Nesta verdadeira “ameaça” às agências de viagens online, a Google tem também a vantagem de poder personalizar a informação mostrada aos utilizadores com base nas contas de Gmail, aumentando, assim, o engagement das suas ferramentas de viagens.

Com a versão do Google Destinations para desktop, o lançamento do Google Trips e a possibilidade de saber quando determinada tarifa expira e o preço da viagem vai aumentar introduzida, recentemente, no Google Flights, a Google fornece uma plataforma com “tudo incluído”, à qual os utilizadores também podem voltar durante a viagem. Para competir, as agências de viagens têm de procurar fornecer conteúdos relevantes, como guias de viagem ou lembretes de reservas, que incentivem os utilizadores a voltar aos seus sites depois de fazer uma reserva.

Google Flights

A Google é já um dos grandes players no mercado das viagens online e tem um forte poder na componente de análise de dados, o que lhe concede uma vantagem substancial em relação a outros players. O Google Flights é, por isso, um dos grandes candidatos à disrupção na “distribuição” de linhas aéreas, elevando a experiência de reserva de voos para outro nível: fornecimento de conteúdos ricos, voos mistério com base naqueles que têm maior popularidade e no histórico de pesquisa do utilizador, elevada rapidez de resposta, etc.

As ferramentas do Google Flights permitem recorrer a uma série de filtros para receber informações relevantes e com uma forte componente visual, não só sobre potenciais voos, como também potenciais destinos (replicando a estratégia de marketing de “inspiração” que as companhias aéreas aplicam nos seus websites com conteúdos sobre destinos). Para cada recomendação, a Google disponibiliza o preço de voos de diferentes companhias aéreas, que tal como aconteceu com a disrupção criada pelas agências de viagens online, estão a associar-se ao serviço da Google para aumentar o número de reservas (como são o caso da Ryanair e Lufthansa).

google_flights

Ameaça ou benefício para as companhias aéreas?

Permitindo acompanhar a variação de preços de voos e receber notificações sobre quando expiram, o Google Flights oferece um serviço que sites como Hopper, Hitlist, Kayak ou Skyscanner não oferecem. O que pode ser vantajoso para as companhia aéreas no sentido de afastar os clientes das agências de viagens online.

  • As companhias aéreas podem vir a conseguir maiores receitas através dos seus canais diretos, graças à crescente utilização do Google para a pesquisa e planeamento de viagens, em detrimento de agências de viagens online e motores de meta-pesquisa.

Por outro lado, o Google Flights estimula um ambiente de pesquisa mais agressivo:

  • Uma vez que as pesquisas orgânicas surgem mais abaixo na página (anúncios surgem primeiro), o Google Flights cria um ambiente de pesquisa competitivo: os conteúdos mais relevantes surgem na primeira página de resultados da pesquisa e no topo da página.

Já escolheu o seu próximo destino? 🙂