Amazon explora Médio Oriente

A Amazon está a avaliar a aquisição do maior retalhista online do Médio Oriente, sediado no Dubai, Souq.com por cerca de mil milhões de dólares. A concretização da compra oferecerá à Amazon uma “âncora” significativa no mercado de e-commerce, que cresce com rapidez. Esta aposta é uma forma de impulsionar as raízes internacionais e as parcerias da Amazon, aumentando as vendas numa região que é propensa a compras transfronteiriças.

O Souq.com possui um vasto catálogo de produtos e tem um legado em alguns dos maiores mercados do Médio Oriente. Para a Amazon, esta é uma forma inteligente de entrar nesta região, ganhar escala através de um negócio já existente e ter acesso a um número crescente de consumidores no Médio Oriente.

Os Emirados Árabes Unidos e a Arábia Saudita, por exemplo, possuem populações bastante jovens que estão, cada vez mais, a optar pelo online para fazer compras e que utilizam dispositivos móveis e outras tecnologias para aceder aos produtos. Em vez de começar do zero e uma vez que possui um negócio similar ao do Souq.com, estas são algumas das razões plausíveis para o interesse da Amazon por esta região.

A aquisição do Souq.com dará diferentes benefícios à Amazon:

  • Souq.com é uma empresa conceituada, o seu site recebe mais de 45 milhões de visitas por mês, vendendo mais de 1 milhão de produtos. Alinhando-se com um “peso pesado” do Médio Oriente, a Amazon poderá vir a conseguir um sucesso precoce à medida que os consumidores migram para as plataformas online para fazer compras.
  • Minimização da concorrência. O sucesso do Souq.com no Médio Oriente é, frequentemente, comparado à presença da Amazon nos Estados Unidos. Especialmente, depois de a empresa ter captado 275 milhões de dólares em financiamento, em fevereiro, atingindo um total de 425 milhões de dólares (concorrente Wadi.com conseguiu um financiamento de 67 milhões no mesmo mês). Adquirindo o Souq.com, a Amazon entra no mercado sem enfrentar concorrência local significativa.
  • Mercado de e-commerce deverá disparar. As vendas online na região do Médio Oriente e Norte de África (MENA) deverão chegar aos 2 mil milhões este ano – embora o valor seja “reduzido” quando comparado com os Estados Unidos, que atingiu um total de 342 mil milhões em vendas online, em 2015. Estima-se que as vendas via e-commerce na região MENA cheguem aos 10 mil milhões de dólares em 2018.

A Amazon pode vir a atingir um sucesso antecipado, dado que os consumidores na região MENA tendem a fazer compras de marcas internacionais. As encomendas transfronteiriças representam uma percentagem significativa do total de vendas, com 40% das encomendas de vestuário e 33% de produtos de luxo, como relógios e jóias, feitas a um país estrangeiro em 2015. O leque abrangente de parcerias da Amazon com marcas estrangeiras, somado à sua reputação de envio rápido e de confiança de encomendas, poderá encorajar as marcas parceiras a vender os seus produtos no Souq.com, oferecendo à Amazon um legado no âmbito do retalho numa região que está em crescimento.

Tagged with: