DESTAQUES GAFANOMICS® [07/ABR/2017]

joachim_renaudin

Por: Joachim Renaudin, analista de projetos na FABERNOVEL INNOVATE Paris

“Destaques GAFAnomics®” é uma compilação dos artigos mais importantes partilhados internamente pela equipa da FABERNOVEL. Aqui, encontrará a sua “torrada de inovação” sobre as últimas novidades da Network Economy. 

SpaceX recicla foguetes

falcon9A SpaceX fez história. A empresa dedicada à exploração espacial fundada por Elon Musk reutilizou, pela primeira vez, um foguete, que havia sido lançado no ano passado e que aterrou com sucesso numa das suas plataformas flutuantes no Oceano.
Players como a SpaceX estão a liderar a revolução na indústria espacial, diminuindo drasticamente custos ao reutilizar foguetes e lançadores. Outros visionários como Jeff Bezos (Amazon) ou Richard Branson (Virgin) consideram o Espaço o próximo destino turístico e uma nova oportunidade para startups e indústrias.
Descubra mais sobre esta nova revolução no nosso estudo A 2ª Revolução Espacial.

Gigantes tecnológicas na “corrida” ao novo Eldorado da IA

race_for_aiO número de aquisições de startups ligadas à inteligência artificial multiplicou por 10, nos últimos cinco anos, graças ao investimento de gigantes como a Google, Apple, Facebook e Intel. Dos quatro, a Google foi quem fez mais aquisições (11 em menos de cinco anos).
As aplicações de inteligência artificial destinadas ao consumidor estão a começar a surgir no mercado, através de dispositivos como o Amazon Echo ou o Google Home. No entanto, a aplicabilidade da IA vai muito para além de assistentes virtuais que nos dão informações meteorológicas ou nos ajudam a enviar um email enquanto cozinhamos. A IA terá impactos em todas as indústrias: conduzirá o nosso automóvel, fará a gestão da produção energética, ajudará a detectar problemas de saúde, etc.

Construir a Humanidade 2.0

neuralinkO fundador da Tesla, Elon Musk, está a investir numa nova empresa: a Neuralink. Depois da colonização do Espaço (através da SpaceX), da revolução nos automóveis eléctricos (através da Tesla) e da produção de energia renovável (através da Solarcity), Elon Musk aceitou um novo desafio revolucionário: fundir o cérebro humano e computadores. A Neuralink pretende dedicar-se à tecnologia “laço neural” que permitirá ao cérebro interagir de forma fluída com um computador sem a necessidade de existir uma interface física. A empresa visa conceder maiores capacidades ao cérebro humano para que este consiga “concorrer” com o crescente poder da inteligência artificial.
À medida que o trans-humanismo se torna cada vez mais popular no microcosmo multimilionário de São Francisco e a inteligência artificial parece estar num ponto de viragem, levantam-se cada vez mais questões relacionadas com ética, justiça e moral.