Amazon apresenta receitas recorde e Jeff Bezos deixa o lugar de CEO


Subscreva o nosso podcast em:
Apple Podcasts | Spotify | Google Podcasts | TuneIn

 

Amazon apresenta receitas recorde e Jeff Bezos deixa o lugar de CEO

Depois da Apple, também a receita da Amazon superou, pela primeira vez, a barreira dos 100 mil milhões de dólares. No último trimestre de 2020, a Amazon apresentou uma receita de 125,6 mil milhões de dólares, o que representa um crescimento de 44% em relação ao mesmo período de 2019 e faz deste o seu melhor trimestre de sempre. 

O lucro foi de 7,2 mil milhões de dólares, mais 118% do que no quarto trimestre de 2019.

Além, está claro, do e-commerce, o negócio cloud Amazon Web Services foi um dos grandes motores desta performance, com a receita a crescer 28% para 12,74 mil milhões de dólares.

Para o primeiro trimestre de 2021, a Amazon estima uma receita entre 100 a 106 mil milhões de dólares.

Esta apresentação de resultados ficou marcada também pelo inesperado anúncio de que Jeff Bezos vai deixar o cargo de CEO da Amazon, no terceiro trimestre de 2021, passando a presidente executivo, onde estará focado na criação de novos produtos e iniciativas pioneiras. Andy Jassy, que dirige a Amazon Web Services, assumirá o cargo de CEO da Amazon.

Receitas da Alphabet crescem 23%

A Alphabet, a holding que detém a Google, apresentou receitas de 56,90 mil milhões de dólares, no quarto trimestre de 2020, um crescimento de 23% em relação ao quarto trimestre de 2019. O resultado líquido foi de 15,22 mil milhões de dólares.

No último trimestre de 2020, a receita de publicidade cresceu 22% para 46,20 mil milhões de dólares, com destaque para a publicidade no YouTube que cresceu 46% para 6,89 mil milhões de dólares.

A destacar também a receita da Google Cloud que cresceu 47% para os 3,83 mil milhões de dólares. Pela primeira vez, a Alphabet partilhou a margem operacional da Google Cloud, que ainda apresenta resultados negativos de 1,24 mil milhões de dólares e um prejuízo total de 5,61 mil milhões de dólares em 2020. 

Cloud da Alibaba torna-se rentável

A receita da Alibaba cresceu 37% para 33,9 mil milhões de dólares, no último trimestre de 2020, superando as expectativas. O lucro cresceu 52% para 12,2 mil milhões de dólares. 

Como seria de esperar, o grande responsável por este resultado é o negócio de e-commerce que representa 89% das receitas. 

Um dos principais destaques é o facto de o negócio Cloud da Alibaba se ter tornado rentável, com um lucro de 3 milhões de dólares. O resultado é fruto do investimento para diversificar as fontes de receita e sustentar o seu crescimento.

Esta foi a primeira apresentação de resultados após a suspensão da entrada em bolsa da Ant Group (subsidiária de serviços financeiros da Alibaba) por motivos de regulamentação e o silêncio do CEO da Alibaba, Daniel Zhang, sobre este tema é reflexo das incertezas no quadro regulamentar que ainda se vivem na China.


Novo modelo económico em rede, inspirado pelos GAFA – Google, Apple, Facebook e Amazon – que integra Unicórnios (startups com valorização acima de mil milhões de dólares), gigantes chineses de tecnologia e todas as empresas que mudam as nossas vidas através da tecnologia e inovação.

Outros acrónimos de empresas que seguem estratégias GAFAnomics®:
NATU – Netflix, AirBnB, Tesla e UBER
BATX – Baidu, Alibaba, Tencent e Xiaomi (os GAFA chineses).

Durma descansado, os GAFA estão a trabalhar… possivelmente para transformar (disromper) a sua indústria.

Quer tornar a sua empresa numa empresa GAFAnomics® ? Contacte a FABERNOVEL.

 

Author avatar
Patrícia Silva
Gestora de comunicação e marketing da FΛBERNOVEL. Colaborou com a Visão, SIC, Rádio Renascença e, mais recentemente, duas publicações ligadas às temáticas da Energia e Cidades Inteligentes. Licenciada em Comunicação e Jornalismo pela Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias e com uma Pós-Graduação em Jornalismo Multiplataforma pela Universidade Nova de Lisboa. 
We use cookies to give you the best experience.