Receita da Apple ultrapassa os 100mM de dólares

Subscreva o nosso podcast em:
Apple Podcasts | Spotify | Google Podcasts | TuneIn

 

Receita da Apple ultrapassa os 100mM de dólares

A Apple apresentou uma receita de 111,4 mil milhões de dólares, no quarto trimestre de 2020, se compararmos com o PIB de Portugal é o equivalente a quase metade num único trimestre. Este valor de receitas da Apple, que representa um crescimento de 21% em relação ao mesmo período de 2019, faz deste o seu melhor trimestre de sempre. 

O lucro no trimestre cresceu 29% para 28,8 mil milhões de dólares. 

Todas as categorias de produto cresceram a dois dígitos, com o iPad a destacar-se com um crescimento das receitas de 41% (8.44 mil milhões de dólares). A receita dos serviços, onde se inclui a App Store, a Apple Music e a iCloud, cresceu 24% para 15,76 mil milhões de dólares, e a do iPhone foi a que cresceu menos, mas, ainda assim, aumentou 17% (65.60 mil milhões de dólares) em relação ao ano anterior. 

Um dado relevante para este crescimento é a base de dispositivos. O CEO da Apple, Tim Cook, revelou que a Apple tem agora 1,65 mil milhões de dispositivos ativos.

Como já vem sendo hábito desde o início da pandemia, a Apple não deixou nenhuma previsão em relação ao próximo trimestre.

Lucro do Facebook aumenta 52%

No último trimestre de 2020, o Facebook apresentou uma receita de 28,1 mil milhões de dólares, o que representa um crescimento de 33%. A receita da publicidade cresceu 31% para os 27,2 mil milhões de dólares.

O resultado líquido do trimestre foi de 11,22 mil milhões de dólares, um aumento de 52% face ao ano anterior. 

O número de utilizadores ativos por mês do Facebook cresceu 12%,  para os 2,8 mil milhões de utilizadores. 

Na apresentação de resultados, o Facebook alertou que as alterações à política de privacidade no sistema operativo iOS da Apple poderão prejudicar o seu negócio de publicidade.

Ainda a respeito da Apple, Mark Zuckerberg disse que considera a Apple um dos grandes concorrentes do Facebook, em áreas como a realidade misturada e o messaging, lembrando que o iMessage da Apple é a maior plataforma de mensagens dos EUA, porque vem pré-instalado nos iPhones. Esta afirmação indicia um dos possíveis ângulos de defesa do Facebook em processos judiciais nos Estados Unidos relativos a abusos de posição dominante e também um argumento de contra-ataque à Apple.

Lucro da Tesla fica abaixo das expectativas

A Tesla apresentou resultados do último trimestre de 2020, onde conseguiu uma margem operacional de 575 milhões de dólares, um valor que ficou abaixo das expectativas.

As receitas cresceram 46% para os 10,74 mil milhões de dólares. Com estes resultados, 2020 fica marcado como o primeiro ano da Tesla com lucro em todos os trimestres.

A empresa também apresentou um cash flow positivo de 1.9 mil milhões de dólares, no quarto trimestre de 2020. 

A Tesla não deixou previsões de produção para 2021, mas disse esperar um crescimento médio anual de 50% nos próximos anos. Em 2020, a Tesla atingiu um recorde de venda de carros, tendo ficado muito perto da meta que definiu de 500 mil carros vendidos. 


Novo modelo económico em rede, inspirado pelos GAFA – Google, Apple, Facebook e Amazon – que integra Unicórnios (startups com valorização acima de mil milhões de dólares), gigantes chineses de tecnologia e todas as empresas que mudam as nossas vidas através da tecnologia e inovação.

Outros acrónimos de empresas que seguem estratégias GAFAnomics®:
NATU – Netflix, AirBnB, Tesla e UBER
BATX – Baidu, Alibaba, Tencent e Xiaomi (os GAFA chineses).

Durma descansado, os GAFA estão a trabalhar… possivelmente para transformar (disromper) a sua indústria.

Quer tornar a sua empresa numa empresa GAFAnomics® ? Contacte a FABERNOVEL.

 

Author avatar
Nuno Ribeiro
Country Manager da agência de inovação FABERNOVEL. Autor do livro Gerir na Era Digital (2011). Licenciado em Economia pela Universidade Católica de Lisboa, onde também concluiu um curso avançado de Gestão de Empresas Tecnológicas e uma pós-graduação em Gestão de Media e Entretenimento. Diretor a unidade Negócio Multimédia do grupo Controlinveste (2008 a 2012). Diretor da unidade de negócios de Internet do grupo Cofina Media (1999 a 2008). Consultor do secretário de Estado da Comunicação Social para a área digital (1997 a 2002).
We use cookies to give you the best experience.