Inovação na encruzilhada entre o medo e a coragem

Inovar não é um processo fácil, sobretudo em empresas que já têm produtos ou serviços estabelecidos e que são “cash cows”. Inovar obriga-as a sair da zona de conforto, o que desperta o medo de falhar na maioria das pessoas. É humano que assim seja e a sociedade e as organizações normalmente não perdoam o falhanço. O medo é, por isso, o maior travão à inovação.

Por outro lado, a coragem é o maior acelerador da inovação e é a coragem de alguns que faz o mundo avançar. As empresas distinguem-se a médio e longo prazo pela capacidade de acompanhar as tendências e ouvir os consumidores para melhor os servir.

A parte boa da coragem associada à inovação é que quando se entranha na organização torna-se um vício e numa adrenalina coletiva que contagia as equipas e os consumidores. É isso que explica o sucesso de empresas como a Apple, Google, Tesla, Facebook, Amazon ou Netflix

Estávamos em 2010 quando Steve Jobs explicou, numa entrevista durante a conferência All Things Digital, como a Apple avalia as tendências e toma decisões difíceis. É por tomar estas decisões que os clientes continuam a comprar os produtos e, por isso, a coragem é fundamental nos processos de inovação.

Fica como sugestão, (re)ver o Steve Jobs explicar a importância da coragem no processo de inovação.

Bom fim de semana!

 

Author avatar
Nuno Ribeiro
Portugal General Manager da agência de inovação FABERNOVEL. Foi diretor da unidade de negócio multimédia do grupo Global Media (2008 a 2012), diretor da unidade de negócios de Internet do grupo Cofina Media (1999 a 2008) e consultor do secretário de Estado da Comunicação Social para a área digital (1997 a 2002). Em paralelo com a atividade profissional foi docente, coordenador de programas executivos e pós-graduações nas Universidades: Católica-Lisbon, Europeia, ISEG e Lusófona (2001 a 2016). Colaborou com artigos de opinião e comentador, sobre temas de inovação, transformação digital e nova economia nos media: Visão, Diário de Notícias, Meios & Publicidade e Económico TV. 
Autor do livro Gerir na Era Digital (2011). É licenciado em Economia pela Católica-Lisbon, onde também concluiu o curso avançado Gestão de empresas tecnológicas e uma pós-graduação em Media e Entretenimento.
We use cookies to give you the best experience.