Voltar ao topo

Apple: Os melhores resultados de sempre (Q1-2013)….

Na semana passada, a Apple divulgou os resultados do último trimestre e foram os melhores de sempre em receitas e em lucro, tanto para a Apple como para a indústria de tecnologia com recorde absoluto… mas, ainda assim abaixo das expectativas dos analistas!?!
  Certamente que os concorrentes ficaram “assustados” com estes resultados…  mas, o mercado embalado pelos analistas reagiu negativamente com uma descida em bolsa de 12% no dia seguinte à divulgação dos resultados…

Vale a pena analisar os resultados e os novos produtos lançados e durante o último trimestre:

Novos produtos:

  • MacBook Pro Retina Display de 13 polegadas (Outubro)
  • Mac Mini (Outubro)
  • Nova gama de iPod touch e nano (Outubro)
  • iPad 4 geração (Novembro)
  • iPad mini (Novembro)
  • iMac de 21 (Novembro) e 27 polegadas (Dezembro)

Os principais indicadores a destacar sobre os resultados apresentados e respectivo crescimento face ao período homólogo (e diga-se com menos uma semana do que no ano anterior, ou seja, menos uns milhares de milhões):

Análise de resultados no trimestre (Q1 Homólogo) – 2013 Vs 2012
Dólares
2013
2012
Variação
Receitas (Mil Milhões) 54.5 46.33
+ 17,63%
Lucro (Mil Milhões)
13.078
13.064
+ 0,11%
Lucro por Acção
13,81
13,87
– 0,43%

Receitas semanais de 4,2 mil milhões de dólares (+27,27%). O trimestre de 2013 teve menos uma semana do que o homólogo de 2012.

margem operacional foi de 38,67% (vs 44,7%), o que para um gigante como é a Apple continua a demonstrar uma performance impressionante.

As receitas do iTunes / AppStore atingiram o valor de 2,1 Mil milhões de dólares (vs 1,7 Mil milhões em 2012) com um número de 500 milhões de contas  e com 250 milhões de contas no iCloud e mais de 200 milhões de iMessages enviadas por dia (o de demonstra a força da rede e ecossistema Apple).

Unidades dos equipamentos Apple vendidos no último trimestre e crescimento vs o período homólogo:

iPhone: 47,8 milhões (estimativa de 50 milhões), + 29,05%
iPad:22,9 milhões (estimativa de 23 milhões), + 48,7%
Mac: 4,1 milhões (estimativa de 5 milhões), – 21,15%
iPod: 12,7 milhões (estimativa de 12 milhões), – 17,53%
Apple TV: 2 milhões (sem estimativa… este modelo é ainda um hobby 🙂 ), + 42,86%

A Apple apresenta neste momento uma liquidez em tesouraria de 137,1 mil milhões de dólares (cerca de 30% do valor da capitalização bolsista) tendo também distribuído 2,5 mil milhões de dólares em dividendos  no passado trimestre. 

Para além destes resultados, a cultura da Apple sob a orientação de Tim Cook continua a garantir um potencial de inovação e crescimento sustentado na “Era Pós-PC”. A Apple continuará a ter uma fatia importante nos mercados de smartphone e tablet (que continuarão a crescer a dois dígitos nos próximos anos), assim como receitas crescentes na venda de conteúdos associados através do seu ecossistema (iTunes, AppStore e iBooks).

Ou seja, nem sempre os agentes do mercado demonstram racionalidade nem perante os resultados, nem perante o potencial de crescimento futuro…

Nota: Artigo publicado nos jornais Diário de NotíciasMeios & Publicidade e Expansão (Angola)

Relacionados:
– The Mysterious Case of Apple´s Missing Growth
– APPLE WHIFFS AS IPHONE COMES IN LIGHT, STOCK TANKS

Author avatar
Nuno Ribeiro
Country Manager da agência de inovação FABERNOVEL. Autor do livro Gerir na Era Digital (2011). Licenciado em Economia pela Universidade Católica de Lisboa, onde também concluiu um curso avançado de Gestão de Empresas Tecnológicas e uma pós-graduação em Gestão de Media e Entretenimento. Diretor a unidade Negócio Multimédia do grupo Controlinveste (2008 a 2012). Diretor da unidade de negócios de Internet do grupo Cofina Media (1999 a 2008). Consultor do secretário de Estado da Comunicação Social para a área digital (1997 a 2002).
We use cookies to give you the best experience.