Retalho: é possível o offline sobreviver ao online?

Já ninguém tem dúvidas: os consumidores compram cada vez mais online, o que está a deixar muitos retalhistas tradicionais preocupados com o futuro do seu negócio, mesmo se também têm lojas virtuais.

As barreiras como a confiança, a tecnologia e a segurança em comprar online já foram vencidas e muitos retalhistas, como é o caso da Amazon, estão a tirar partido disso. Quem nem sempre, ou na grande maioria dos casos, não está a tirar partido do fim das barreiras às compras online, são muitos retalhistas tradicionais. Pois as lojas físicas podem apresentar-se como uma vantagem se os canais digitais também forem devidamente explorados.

Um estudo recente da agência de inovação FABERNOVEL aponta cinco formas para os retalhistas tradicionais poderem combater os concorrentes online:

#1 Garanta que a equipa da loja está em condições de responder imediatamente a qualquer questão do cliente.
Uma forma de o fazer é disponibilizar dispositivos móveis (tablets) aos colaboradores para que possam aceder a informação dos produtos.

#2 Privilegie a realização de demonstrações como forma de ganhar o envolvimento de quem está na loja.
Efetuar demonstrações é também uma forma de atrair novos consumidores interessados em experimentar os produtos.

#3 Dê informações sobre o que o cliente pretende.
Implemente ferramentas de análise nas lojas para melhor conhecer o comportamento dos clientes.

#4 Elimine uma das mais importantes barreiras: deixe o cliente pagar rapidamente.
Crie um sistema de pagamento que permita ao cliente pagar em qualquer lugar da loja.

#5 Faça entrega ao domicílio.
Ofereça serviços de entrega, o que demonstra proximidade com o cliente e garanta que tem um melhor serviço do que as lojas online.

As lojas físicas não deixarão de existir e o futuro não irá separar o retalho online do retalho offline. Bem pelo contrário, a união entre os dois canais será um fator de sucesso.

Veja o estudo da faberNovel sobre as 5 formas para manter fiéis, os clientes do retalho:

Nota: Artigo publicado nos jornais Diário de Notícias e Meios & Publicidade.

Tagged with: