Cidades flutuantes, shuttles e navios de carga autoguiados

Algumas gigantes tecnológicas (Google, Apple ou Baidu) e fabricantes de automóveis estão a investir seriamente no desenvolvimento de carros autónomos – e até voadores. Mas a Rolls-Royce quer entrar na indústria marítima e fazer dos navios de carga autónomos um projeto que pode ser realidade em 2020, para uma maior segurança e eficiência nas deslocações (mapa interativo).

 

Talvez estes navios possam vir a abastecer num futuro próximo cidades flutuantes, cujo objectivo é minimizar as alterações climáticas ou desflorestação, como é o caso da Artisanopolis, idealizada pelo The SeaStanding Institute e DeltaSync num concurso de arquitetura.

Já a empresa japonesa que fornece serviços on-line e mobile DeNA vai ingressar no mercado dos transportes e começar a testar perto de Tóquio shuttles elétricos e auto-guiados (Robot Shuttle), produzidos pela EasyMile, uma startup francesa que desenvolve tecnologia para carros autónomos.

A italiana Next Future Transportation está a trabalhar num sistema on-demand que recorre a shuttles modulares, elétricos e auto-guiados que apanham os passageiros onde quer que estejam.

E para terminar esta Morning Toast, conheça o primeiro shuttle bus do mundo feito a partir de impressão 3D, auto-guiado e elétrico (Olli), desenvolvido pela  Local Motors e pela tecnológica IBM.