Goldman Sachs e Affirm inovam no crédito ao consumo

A nova geração de players da Fintech adota uma abordagem totalmente diferente dos players instalados: não tentam só digitalizar a experiência bancária tradicional, reinventam as utilizações e simplificam drasticamente a experiência do utilizador até torná-la invisível. Lending Club e Prosper foram pioneiros na área dos empréstimos peer-to-peer, com a promessa de aplicar taxas de juro mais baixas, com melhores retornos para os investidores; e outros, como a LendUP, estão a tentar transformar a área dos chamados “empréstimos rápidos” .

Também a Affirm, liderada por Max Levich (cofundador do PayPal e um dos principais especialistas de Silicon Valley na indústria dos pagamentos) quer revolucionar a área do crédito ao consumo e “substituir” com os cartões de crédito através do serviço “Split Pay”, que permite aos clientes – sobretudo Millennials – fazer compras online e pagar em prestações. Com este modelo alternativo, a startup assegurou, recentemente, uma linha de crédito de 100 milhões de dólares da Morgan Stanley.

Simplicidade da experiência

Vários sites (Joybird, Reverb, General Assembly, Casper ou a empresa de impressão 3D Makerbot, por exemplo) já oferecem o Split Pay como opção de pagamento, sendo que, sempre que utilizam o serviço, os clientes só têm de fornecer o nome, número de telefone, email e data de nascimento. Mas, antes da confirmação da compra, a solução da Affirm permite ver quais serão os custos por mês e quando é que vão ser cobrados (taxa de juro entre 10 a 30%).

Cada compra/item tem a sua própria e única linha de crédito – a taxa de juro e o período de tempo são definidos à partida -, ao contrário dos cartões de crédito que oferecem uma linha de crédito aberta e renovável que está sempre disponível. Além disso, os consumidores têm a hipótese de criar um “cartão virtual” para pagar noutras lojas online da mesma forma que pagariam com a Mastercard, a título de exemplo.

affirm2

Decisão em tempo real para aval do empréstimo

O serviço tem a capacidade de selecionar instantaneamente um conjunto de dados públicos que determinam se o crédito pode ser concedido ao cliente em questão. O modelo baseia-se em entre 70 mil e 80 mil variáveis que descrevem cada consumidor, desde o sistema operativo do seu telemóvel à análise na sua presença nos media sociais. Trata-se do modelo de comportamento, baseado em dados, que Max Levchin e Nathan Gettings desenvolveram para o PayPal (numa altura em que a empresa estava a perder milhões de dólares por mês devido a vários tipos de fraude), tendo agora a vantagem de ter aprendido com erros anteriores e de ter este legado.

Numa entrevista recente, para a empresa de capital de risco Andreessen Horowitz,  Max Levchin explicou que a Affirm tem como objetivo criar o banco do futuro e que o serviço tem tido um impacto significativo nas lojas associadas, que verificaram um aumento de 30% nas vendas.

Goldman Sachs: plataforma online para créditos pessoais

Também a Goldman Sachs prepara o lançamento de uma nova plataforma online para créditos pessoais (que permite empréstimos até 30 mil dólares por um período de 2 ou 6 anos, com taxas de juro entre 5 e 23%), construída com base nas opiniões e frustrações dos clientes em relação à gestão de débitos pessoais e que vai sofrendo melhorias consoante o feedback dos mesmos.

Potenciais vantagens da plataforma Marcus, segundo a Goldman Sachs, em relação a outras plataformas online semelhantes:

  • A plataforma não vai cobrar comissões;
  • Oferece taxas fixas, definidas consoante a duração do empréstimo;
  • Permite aos clientes indicar a data do pagamento mensal e a opção de pagamento;
  • Usufrui de uma equipa especializada (nos EUA) de suporte aos consumidores.
A plataforma, que nos próximos meses estará acessível a todos os clientes, depois de uma primeira fase em que só alguns terão acesso, poderá vir a ser bem sucedida se conseguir, efetivamente, proporcionar uma experiência de utilização superior, uma vez que usufrui do vasto conhecimento da Goldman Sachs no mercado financeiro. Além disso, o banco possui extensas fontes de capital às quais pode recorrer para financiar estes empréstimos, enquanto outras plataformas de empréstimos online dependem do capital de investidores externos.