Wearables e IOT’s para animais domésticos

O ano de 2015 foi um grande ano para a indústria tecnológica no que diz respeito a objetos conectados, e nos próximos 5 anos é esperado que cresça ainda mais, alcançando uma valorização de 30 mil milhões de dólares, de acordo com a CCS Insight. O mercado de objetos conectados é muito vasto e inclui smartwatches, óculos, trackers de atividade física e de saúde, jóias e roupa inteligente, entre outros.

Entre os players mais relevantes deste mercado estão:

  • FitBit – Desde 2014, a FitBit vendeu 36,7 milhões de trackers, sendo que 4,8 milhões destes foram vendidos no primeiro trimestre de 2016.
  • Xiaomi – A empresa chinesa vendeu 16,8 milhões de trackers entre 2014 e o primeiro trimestre de 2016.
  • Apple – É estimado que tenha sido vendidas 14,7 milhões de unidades do Apple Watch até ao final do 2º trimestre de 2016.
  • Garmin – Vendeu aproximadamente 6,3 relógios GPS e trackers de atividade física desde 2014 até ao segundo trimestre de 2016.
  • Samsung – Entre 2014 e o 2º trimestre de 2016, acumulou 7,1 milhões de vendas com os seus Gear Smartwatches e Fit Wearables.

A tecnologia de objetos conectados ganha, cada vez mais, visibilidade e, olhando para a quantidade de novos objetos lançados nos últimos anos, era só uma questão de tempo até os animais domésticos integrarem este mercado. 2015 foi o ano dos objetos conectados para humanos, este ano será a vez dos animais domésticos. Os objetos conectados para animais serão a próxima tendência e vão gerar receitas de milhares de milhões de euros, não apenas com a venda do hardware, mas também dos serviços associados.

“Estima-se que o mercado de objetos conectados para animais cresça a uma taxa anual de 11,2% na próxima década, alcançando 2,62 mil milhões de dólares em 2025, globalmente”.

Grand View Research, Inc

De acordo com Bob Vetere, CEO da American Pet Products Association, Pet food and product trends tend to follow human food and product trends”. Quando alguém considera que um produto é bom e vai ao encontro das suas necessidades, normalmente, vai procurar, ou até mesmo criar, um produto semelhante para os seus animais. Este parece ter sido o caso dos objetos conectados para animais, que permitem (acoplados com aplicações) a monitorização da saúde, exercício e alimentação de um animal de estimação, bem como transmitir alertas aos donos para consultas ou vacinas necessárias ou até mesmo localizar o animal caso ele se perca ou saia do perímetro permitido.

As empresas de objetos conectados de hoje estão a desenvolver produtos que serão vitais para a identificação, rastreamento, monitorização do comportamento, segurança, diagnósticos médicos e tratamentos para animais de estimação.

Objetos conectados para animais domésticos que estão a liderar o mercado:

  • Whistle – A Whistle tem no seu portfólio de produtos um “Activity Monitor” e um “Pet Tracker”. O Whistle Activity Monitor é um dispositivo que se integra na coleira do cão e vai medindo as suas atividades, incluindo passeios, brincadeiras e descanso, dando assim ao dono uma nova perspetiva do comportamento do dia-a-dia e tendências de saúde a longo prazo.

O Whistle GPS Pet Tracker (conhecido antigamente como Tagg antes da empresa ter sido adquirida pela Whistle em 2015) é uma coleira com um GPS integrado que permite localizar o animal de estimação. Sempre que o animal sair da zona predefinida pelo dono, este é informado através de uma mensagem. A Whistle foi adquirida pela Mars Petcare este ano.

 

  • FitBark – É um pequeno dispositivo em forma de osso que se incorpora na coleira do animal de estimação. Ajuda a promover um estilo de vida ativo, pois o dono pode calcular o nível de atividade física necessária através da aplicação – basta inserir dados sobre o peso, tamanho e idade do animal. A aplicação móvel também permite que os donos controlem os cães com frequência (mesmo que estejam no trabalho), de modo a saberem quando precisam de intervir de maneira a manter os cães saudáveis e felizes.
  • Voyce – Mede os principais sinais vitais (frequência cardíaca e respiratória) e outros indicadores de bem-estar (atividade, descanso, calorias queimadas, etc.) através da tecnologia wearable e algoritmos. Ao usar essa informação, o Voyce fornece aos donos tendências e insights valiosos, ajudando o dono no que diz respeito à saúde do cão, comportamento e bem-estar.
  • GoPro Fetch – A GoPro lançou um suporte dorsal para cães que pode ser ajustado consoante o tamanho do animal. Tem capacidade para duas câmaras, com um encaixe nas costas e outro no peito e permite fazer filmes sob a ótica dos animais.
  • PintoFeed – É um comedouro inteligente. Através da aplicação, o dono do animal pode dar a ração remotamente na porção desejada. O PintoFeed também permite programar automaticamente os horários das refeições e notificar o dono quando estas acontecem, sendo que o dono também recebe dados sobre a quantidade de ração ingerida.
  • DogTV – É canal de televisão para cães que fornece programas “dog-friendly” 24/7. Foi desenvolvido para fazer companhia aos cães quando estes são deixados sozinhos. Os conteúdos disponíveis foram criados com base em estudos científicos e de acordo com as sensações caninas. Existem 3 tipos de conteúdos: programas de relaxamento , programas de estímulo e programas de exposição a situações.

 

“Estima-se que, em 2017, os donos vão gastar mais em objetos conectados do que em alimentação, e, em 2020, as despesas com os animais de estimação vão aumentar 50%”.

Grand View Research, Inc