CNN compra Beme para captar novas audiências

Os Media necessitam de reinventar o seu negócio com base na relevância e na criação de valor. A capacidade de construir novos produtos e serviços em torno de comunidades é uma peça fulcral para estas empresas. E é por isso que empresas como a Vox, Quartz, BuzzFeed e outros novos players colocam o desenvolvimento de produtos no centro das suas organizações, trabalhando em equipas multidisciplinares, que são estimuladas a identificar as necessidades dos consumidores e a construir um produto que vá ao encontro das mesmas.

Procurando acompanhar esta tendência e fortalecer a sua aposta no Digital, a CNN vai lançar uma nova marca de Media dedicada a conteúdos de vídeo sobre assuntos que marcam a actualidade, recorrendo à tecnologia mobile, para captar uma audiência mais jovem e, possivelmente, criar uma plataforma com novos conteúdos e impulsionada pelo jornalismo cidadão. O projeto será liderado pelo vlogger do Youtube Casey Neistat e a sua equipa, depois de a CNN ter comprado a App de partilha de vídeos Beme (que irá fechar) que Casey Neistat fundou com Matt Hackett – esta aquisição terá rondado os  25 milhões de dólares.

Com este negócio, a CNN acede à tecnologia por detrás da aplicação Beme, bem como a uma vasta audiência digital (só no seu canal de YouTube, Casey Neistat possui 5,8 milhões de subscritores). A estratégia é semelhante à executada com a criação da startup Great Big Story, uma rede de vídeos co-fundada por Andrew Morse, Vice-Presidente Editorial da CNN, que funciona dentro da CNN e que visa atrair novas audiências. Esta foi uma aposta da CNN para concorrer com o BuzzFeed (em Outubro, a empresa de media chegou a contratar alguns membros da equipa de Política do BuzzFeed).

Este negócio surge numa altura em que outras empresas de media estão a estender as suas ofertas core e a investir em startups e novos projectos. A NBCUniversal re-investiu, recentemente, 200 milhões de dólares no BuzzFeed (em 2015, tinha investido o mesmo montante) e outros 200 milhões de dólares na Vox Media em 2015; enquanto a AMC anunciou recentemente a compra de uma participação minoritária na Funny or Die.

Esta aposta numa estratégia “video-centric” por parte das empresas de media pretende seduzir um público mais jovem, bem como captar receitas de publicidade online em particular em vídeo.

Tagged with: