Ford cria plataforma aberta de serviços de mobilidade

  • Ford vai lançar uma plataforma de serviços de mobilidade open-source –  que integra os seus serviços e os de terceiros.
  • Apostar num processo de inovação aberta aumenta a probabilidade de sucesso da fabricante de automóveis.

A Ford tem procurado reinventar-se na nova economia: já não é só um simples fabricante de automóveis, reposicionou-se como uma empresa de mobilidade. E agora prepara-se para lançar uma nova plataforma open-source de serviços de mobilidade – aberta a cidades e outros serviços.

Esta é uma clara aposta num processo de inovação aberta. O fabricante de automóveis vai permitir a terceiros integrar os seus serviços na sua plataforma, o que aumenta a sua probabilidade de sucesso. Porquê? as plataformas assentes em APIs, que permitem incluir a oferta de terceiros, são adaptáveis a utilizações futuras e permitem ampliar o conhecimento e a proposta de valor.

O recente investimento na Autonomic foi um ponto central nesta estratégia. O software da startup inclui analítica de dados, identificação de clientes, serviços de mapas e rotas e pagamentos digitais. Pode, por isso, ser utilizado para melhorar a experiência do utilizador de serviços de ride-sharing, uma vez que permite tirar partido do cruzamento de dados entre veículos e operadores de serviços de ride-sharing, por exemplo.

A Autonomic vai ser a “espinha dorsal” dos serviços online de mobilidade da Ford, incluindo os ligados a veículos autónomos e apps de ride-sharing, como a GoDrive. A Ford vai criar aplicações “em cima” da plataforma da Autonomic, explorando os dados gerados pelos seus veículos, de forma a fortalecer a sua infraestrutura de mobilidade.

Os fabricantes automóveis estão a tornar-se, cada vez mais, empresas tecnológicas, com uma visão data-driven e consumer-centric. Uma plataforma aberta pode ajudar a Ford a consolidar esta visão e oferecer serviços digitais que podem ser o futuro do seu negócio.

Com o desenvolvimento dos carros autónomos, os fabricantes estão a assumir um novo papel, tornando-se proprietárias dos automóveis utilizados em produtos mobility-as-a-service. Exemplo disso são as parcerias que a Ford criou nas quais disponibiliza os seus veículos autónomos: com a Domino’s para a distribuição de pizzas; e com o serviço de ride-sharing da Lyft (rival da Uber).

Tagged with: