• O Dill é um braço robótico concebido especificamente para colocar embalagens em camiões nas zonas de carga de armazéns.
  • Automatizando uma tarefa fisicamente exigente com elevadas taxas de rotatividade de empregados, o Dill é capaz de arrumar 1.600 caixas por hora. 

Fundada em 2018 pelos ex-alunos do MIT Andrew Meyer, Ariana Eisenstein e Dan Paluska, a Pickle é um startup americana de robótica que nasceu com o objetivo de transformar a logística nos armazéns. 

Batizado de “Dill”, o primeiro produto desenvolvido pela Pickle é um braço robótico concebido especificamente para colocar embalagens nas traseiras dos camiões nas zonas de carga.

Automatizando uma tarefa fisicamente exigente com elevadas taxas de rotatividade de empregados, o Dill é capaz de arrumar por hora 1.600 caixas, com diferentes tamanhos e com um peso até 25 kg. 

Esta rapidez é possível através de visão computacional, que permite ao robô decidir que tipo de embalagem transportar e a melhor forma de a recolher. 

Outra das vantagens é que este braço robótico é suportado por uma base móvel, com rodas, podendo facilmente ser transportado para onde for necessário. 

A Pickle vai começar a aceitar encomendas neste verão e as primeiras entregas estão previstas para 2022. 

Nascida de um spin-off do MIT, a Pickle já captou um investimento de 11,5 milhões dólares de investidores como a Hyperplane, Third Kind Venture Capital, Box Group e a Version One Ventures.