O oráculo de Omaha falou…

Warren Buffett é não só um dos homens mais ricos do mundo (com mais de 100 mil milhões de dólares), mas também uma referência como investidor (não especulador). Conhecido pela sua gargalhada contagiante, tem uma vida sem grandes luxos (vive na mesma casa há 60 anos) e um enorme bom senso na análise das transformações sociais e económicas. Foi pela sua capacidade de análise que foi batizado de “oráculo de Omaha” (Omaha é a sua terra natal).

A estranha dieta de Buffett
Atualmente com 91 anos de idade, com uma conhecida dieta de “junk food”, começa por tomar o pequeno almoço no McDonalds, onde escolhe o menu em função da abertura dos mercados, gastando entre $2,61 e $3,17 dólares. Ao longo do dia, a coca-cola está sempre presente (como é visível em quase todas as entrevistas) e os hambúrgueres e gelados são garantidos ao almoço, jantar e por vezes na ceia. E, sim, claro que é investidor de referência da Coca-Cola e da McDonalds.

Recentemente o jornalista Bob Bryan da Business Insider experimentou a dieta de Warren Buffett e não se sentiu bem 🙂. Pode ler aqui o relato na primeira pessoa “Comi como o Warren Buffett durante uma semana e senti-me muito mal.”

Buffett e as tecnológicas
Buffett ganhou fama por ser um investidor em indústrias mais tradicionais, e justificava que não investia em empresas tecnológicas porque não percebe nada de tecnologia (por exemplo, ainda não sabe como se envia um email). Por isso, surpreendeu o mercado quando em 2011 anunciou que tinha investido na IBM,  a justificação era que não estava a investir em tecnologia, mas sim numa empresa de consultoria.

Maior surpresa aconteceu em 2016, quando começou a investir na Apple! Atualmente, tem mais de 5% das ações, com mais de 100 mil milhões de dólares em mais valias, e considera a Apple uma empresa extraordinária. Na semana passada na reunião de acionistas (30 de abril), confirmou que reforçou recentemente com mais 600 milhões de dólares e que continuará a comprar se voltarem a descer.

Como o oráculo de Omaha vê a atualidade
Warren Buffett não dava entrevistas há mais de um ano, o que num ano de enormes transformações sociais, económicas e geopolíticas é muito tempo sem podermos “consultar o oráculo de Omaha”. O mérito e a oportunidade é-nos dada pelo jornalista Charlie Rose, que durante 4 anos esteve afastado da CBS e PBS (por ter sido “apanhado na onda” #MeToo) e agora regressa com esta entrevista a Warren Buffett que disponibilizou no seu site.

Nesta entrevista, Buffett fala sobre:

– As transformações geopolíticas e económicas (Estados Unidos, China, Rússia).
– Mudanças climáticas e sustentabilidade.
– Criptomoedas.
– Filantropia.
– O projeto falhado na área da Saúde com Bezos (Amazon) e Jamie Dimon (JP Morgan).
– Partilha a sua opinião sobre Tim Cook (Apple), Jeff Bezos (Amazon) e Elon Musk (Tesla).

Para saber quase tudo sobre Warren Buffett
Deixo-lhe adicionalmente mais duas sugestões. O documentário da HBO “Becoming Warren Buffett”:

 

E a biografia autorizada “Efeito bola de neve” (864 páginas), escrita pela ex-analista da Morgan Stanley, Alice Schroeder:

Author avatar
Nuno Ribeiro
Portugal General Manager da agência de inovação FABERNOVEL. Foi diretor da unidade de negócio multimédia do grupo Global Media (2008 a 2012), diretor da unidade de negócios de Internet do grupo Cofina Media (1999 a 2008) e consultor do secretário de Estado da Comunicação Social para a área digital (1997 a 2002). Em paralelo com a atividade profissional foi docente, coordenador de programas executivos e pós-graduações nas Universidades: Católica-Lisbon, Europeia, ISEG e Lusófona (2001 a 2016). Colaborou com artigos de opinião e comentador, sobre temas de inovação, transformação digital e nova economia nos media: Visão, Diário de Notícias, Meios & Publicidade e Económico TV. 
Autor do livro Gerir na Era Digital (2011). É licenciado em Economia pela Católica-Lisbon, onde também concluiu o curso avançado Gestão de empresas tecnológicas e uma pós-graduação em Media e Entretenimento.
We use cookies to give you the best experience.