Se gosta de ouvir música através de serviços de streaming, talvez já tenha ouvido falar do Audius. Este serviço, que eu próprio utilizo, enquanto artista e também como fã de música, tem um conceito semelhante ao do Spotify, mas concentra-se num nicho de artistas em ascensão e difere por ser suportado por tecnologia blockchain. Totalmente descentralizado, permite aos aspirantes a músicos auto-publicarem e rentabilizarem o seu trabalho. O foco não é o lucro, mas sim o envolvimento dos utilizadores com o conteúdo dos artistas.

O ecossistema Audius é composto por três players: os artistas, os fãs e os prestadores de serviços. Estes players são responsáveis pela segurança da rede, pela gestão do tráfego na aplicação e pela distribuição de música. Como a rede é aberta e descentralizada, qualquer artista pode ganhar mais visibilidade e maior liberdade para ganhar mais com a sua arte e ser remunerado de forma justa.

A plataforma permite aos artistas alojar a sua própria música, criando uma relação direta com os fãs, através da criação de clubes de fãs ou da venda de conteúdos exclusivos. Os artistas são também recompensados com tokens AUDIO quando as suas músicas ou playlists são as mais populares, semanalmente ou mensalmente. Isto significa que os artistas podem ganhar ainda mais dinheiro enquanto ajudam o ecossistema a crescer. Embora este método não funcione para todos, tem alguns benefícios.

A relação direta com os fãs é uma das grandes vantagens. Regularmente, é possível lançar competições de remixes em que os fãs podem enviar tracks e os vencedores são recompensados com tokens AUDIO.

A Audius inspira-se também em funcionalidades dos media sociais, com timelines e a possibilidade de seguir os artistas preferidos.

A plataforma conta com milhões de utilizadores e mais de 200 mil artistas. Um dos seus últimos desenvolvimentos foi permitir aos artistas disponibilizar as suas músicas para serem utilizadas em vídeos do TikTok.

A Audius foi fundada e é financiada por alguns dos maiores nomes da música eletrónica, como deadmau5. Os fundadores reuniram um conselho consultivo e convidaram centenas de artistas para participar na versão beta. O modelo da Audius concentra-se em derrubar barreiras, entregando mais de 90% das suas receitas aos artistas – e com a garantia de que o serviço se vai manter gratuito para os artistas.

Prontos para experimentar o Audius?