Voltar ao topo

Apple: Resultados (Q2 2013) e anuncia Buyback recorde

apple-money-logoApple divulgou hoje os resultados do segundo trimestre do ano fiscal de 2013.

Desde Setembro de 2012, em que a cotação atingiu o seu máximo histórico de 702,1 dólares a Apple desceu 42,1% (para os 406,13 dólares). Os analistas e o mercado aparentemente perderam o entusiasmo com a Apple…

Mas, Tim Cook e a equipa de gestão têm referido todos os trimestres que estão muito confiantes com a estratégia e decidiram provar essa convicção e aumentaram de 10 Mil milhões para 60 Mil milhões a compra de ações próprias (Buyback), o maior investimento de sempre de uma empresa em ações próprias com início já este mês pois a descida do preço das ações são o convite a agir rápido.
Para além disso, os acionistas vão receber já no mês de Maio os dividendos que terão de 15% para 3,05$ trimestral. E a política de dividendos será revista anualmente.

Aqui ficam os principais indicadores dos resultados apresentados:

Análise de resultados no trimestre (Q2 Homólogo) – 2013 Vs 2012 – 
Dólares
2013
2012
Variação
Receitas (Mil Milhões)
43.603
39.186
+ 11,2%
Lucro (Mil Milhões)
9.547
11.622
– 17,85%
Lucro por Acção
10,09
12,3
– 17,97%
Acumulado do primeiro semestre -2013 Vs 2012
Dólares
2012
2011
Variação
Receitas (Mil Milhões)
98.115
85.519
+ 14,73 %
Lucro (Mil Milhões) 22.625 24.686
– 8,35 %
Lucro por Acção
23,9
26,17
– 8,67%

Outros indicadores:
Liquidez / tesouraria (de fazer inveja a muitos países): 145 Mil Milhões de dólaress (+ 31,58 % face ao homólogo).

iPhone: 37,4 milhões de unidades, +6,55% face ao homólogo.

iPad: 19,5 milhões, +151% face ao homólogo

Mac´s: 4 milhões, +0% face ao homólogo (o mercado global de computadores pessoais decresceu no trimestre  -14%)

iPod: 5,6 milhões (dos quais metade foram iPod Touch)

iTunes: Receitas de 2,4 mil milhões de dólares, +26.32% face ao homólogo.

Author avatar
Nuno Ribeiro
Country Manager da agência de inovação FABERNOVEL. Autor do livro Gerir na Era Digital (2011). Licenciado em Economia pela Universidade Católica de Lisboa, onde também concluiu um curso avançado de Gestão de Empresas Tecnológicas e uma pós-graduação em Gestão de Media e Entretenimento. Diretor a unidade Negócio Multimédia do grupo Controlinveste (2008 a 2012). Diretor da unidade de negócios de Internet do grupo Cofina Media (1999 a 2008). Consultor do secretário de Estado da Comunicação Social para a área digital (1997 a 2002).
We use cookies to give you the best experience.