Uber: transporte de bens em camiões auto-guiados

A Uber é uma empresa com um metabolismo bastante acelerado: é a startup tecnológica com maior valorização do mundo (69 mil milhões de dólares), tendo conseguido a proeza de atingir uma valorização de 50 mil milhões de dólares num período de 5 anos.

O segredo para o seu modelo de crescimento exponencial assenta em 5 fatores de sucesso, sendo um deles a capacidade de inovar com rapidez, que é, aliás, uma característica intrínseca às empresas da nova economia. Exemplo disso é a criação da sua mais recente divisão de negócio Uber Freight, um marketplace que conecta fornecedores e empresas de distribuição e que surge no seguimento da compra da Otto, por 680 milhões de dólares, uma empresa que se dedica ao desenvolvimento de camiões autoguiados.

A estratégia passa por vender o kit de tecnologia para camiões autoguiados da Otto às primeiras empresas fornecedoras e de distribuição a inscreverem-se no marketplace Uber Freight. Desta forma, a Uber poderá recolher dados relevantes relativos à forma de condução destes veículos que lhe permitirão melhorar os seus sistemas de condução autónoma.

Qual o valor de utilidade? Aproveitando a sua propriedade intelectual e o facto de ter operações em várias partes do mundo, a Uber está a tentar vencer no mundo dos serviços de distribuição on-demand e ultrapassar a concorrência, disponibilizando um serviço custo-eficiente e com um preçário dinâmico, ajustado em tempo real, que varia consoante a oferta e a procura. Esta constitui, assim, uma ameaça às empresas intermediárias tradicionais que conectam motoristas e empresas de camionagem a retalhistas e fabricantes que necessitam de serviços de distribuição, cobrando uma comissão entre 15 a 20%.

Os camiões auto-guiados da Otto fizeram, muito recentemente, a sua primeira entrega: foram transportadas 50 mil cervejas da Budweiser.

A Uber nunca pára de se movimentar: ao serviço com carros executivos (UberCab), sucederam-se modalidades com carros de privados (UberX), de transporte colectivo (UberPOOL) e até de logística (UberEATS) que transformaram a Uber numa infraestrutura de transporte que viabiliza três milhões de viagens todos os dias e se tornou numa verdadeira alternativa à posse de um automóvel.

Valor comercial e retorno do investimento

A maior segurança conseguida com a tecnologia para carros autónomos traduz-se numa menor necessidade de subscrição de seguros, ganhos de eficiência no âmbito do combustível (camiões não têm de mudar tantas vezes de via ou acelerar e desacelerar desnecessariamente, por exemplo) e uma maior produtividade do camião (o motorista pode deixar a cabine enquanto o camião viaja em auto-estrada autonomamente e, assim, não ter de conduzir horas excessivas, o que pode representar mais receitas para o motorista e para a empresa que faz o transporte).

Adaptação dos métodos de pagamento: novo cartão de débito Uber 

Disponível em 500 cidades, em mais de 70 países, a Uber adopta uma abordagem aos mercados muito singular, uma vez que cada um deles tem as suas especificidades – derivadas de expectativas, restrições e preocupações. A empresa liderada por Travis Kalanick não hesita, por isso, em ajustar, enriquecer e personalizar as suas ofertas para conquistar novos mercados.

Adaptar os métodos de pagamento de acordo com o contexto do mercado é, por isso, uma das estratégias seguidas pela empresa. Na Índia e no Egipto, por exemplo, uma vez que o cartão de crédito tem uma baixa taxa de utilização, a Uber disponibilizoubercardu o pagamento em dinheiro, tornando o serviço acessível a mais utilizadores. Da mesma forma, para intensificar a exploração do mercado mexicano (o maior mercado da Uber na América Latina), acaba de lançar o seu próprio cartão de débito no país, o UberCard, em parceria com a Mastercard e com o primeiro banco online no México, Bankaool. Aplicando a regra do “cliente grátis”: a primeira viagem através da Uber para novos clientes (valor superior a cerca de 5 euros) é gratuita.

O UberCard está ligado a uma conta bancária, destina-se a quem não tem cartão de crédito e àqueles cujo cartão de débito não permite comprar online. Pode ser utilizado para pagamentos no cinema, lojas e restaurantes; e e-commerce e Apps que aceitam Mastercard.