Compras por voz: A nova batalha no retalho

  • Os retalhistas tradicionais estão a aliar-se à Google para impulsionar as compras por voz e concorrer com a Amazon.

Walmart, Target e Home Depot criaram parcerias com a Google para impulsionar a encomenda de produtos por voz, através da Google Assistant, integrada nas colunas inteligentes Google Home e smartphones Android. Os retalhistas tradicionais estão a utilizar a tecnologia de inteligência artificial da gigante tecnológica para concorrer com a Amazon.

Ao permitir a encomenda dos seus produtos, através dos dispositivos da Google, estes retalhistas estão a criar um novo canal de venda que prima pela conveniência e por uma experiência de compra “sem atrito”.

A voz está a tornar-se no novo teclado das compras online e é relevante para as marcas acompanharem esta mudança no comportamento dos clientes. A Walmart, a Target e a Home Depot estão a reposicionar-se nesse sentido e estão a tirar partido da inteligência artificial da Google para expandir os seus negócios de e-commerce.

Uma vez que a Google passa a ter acesso ao histórico de compras dos clientes destes retalhistas e a outros dados valiosos, vai poder personalizar a oferta e potenciar a venda de mais produtos. Para a gigante tecnológica, esta é uma forma de tentar quebrar o domínio da Amazon na pesquisa e descoberta de novos produtos online.

A Google tem a vantagem de poder explorar as encomendas por voz através dos smartphones Android – que integram a Google Assistant – chegando, eventualmente, a uma base mais vasta de utilizadores. Com o lançamento dos novos Google Home Mini (49 dólares) podem conseguir a massificar a presença destes dispositivos nas habitações e  impulsionar as compras por voz.

Será que a Google vai vencer a disputa dos hipermercados?

A Google entrou nesta disputa pela distribuição de produtos alimentares, em resposta à aquisição da cadeia de supermercados orgânica WholeFoods pela Amazon.

Enquanto a estratégia da Amazon passa por adquirir um grande distribuidor para conquistar a cadeia de valor desde o fornecimento à distribuição, a Google optou por aliar-se a retalhistas tradicionais no fornecimento, focando-se em controlar o contacto com o consumidor.