DESTAQUES GAFANOMICS® [15/DEZ/2017]

#ancora1 #ancora2#ancora3

06-PATRICIA-CIRCULAR

Por Patrícia Silva, Gestora de Comunicação e Marketing na FABERNOVEL INNOVATE Lisboa

“Destaques GAFAnomics®” é uma compilação dos artigos mais importantes partilhados internamente pela equipa da FABERNOVEL.

Gigantes tecnológicas na corrida aos serviços de música

Amazon Music And Spotify

A disputa das gigantes tecnológicas no terreno dos serviços de streaming de música está a “aquecer”, num cenário Spotify VS Apple VS YouTube VS Amazon.

A Amazon anunciou a expansão do seu serviço Music Unlimited em 28 novos países e, como sempre, sabe aproveitar a sua base massiva de clientes do programa de fidelização Amazon Prime para escalar rapidamente um serviço.

O YouTube também vai lançar um novo serviço de streaming e está a fechar parcerias com algumas das maiores discográficas do mundo. A Google já lançou outros serviços no passado, mas nunca foram tão bem sucedidos como a Apple Music, por exemplo. O serviço da Apple continua a ser um dos líderes e vai beneficiar da recente aquisição da App Shazam para melhorar o motor de recomendações personalizadas.

O que é que vai diferenciar todos estes serviços? Os conteúdos e a experiência do utilizador.

PepsiCo encomenda 100 camiões à Tesla

teslasemi

A PepsiCo acaba de fazer a maior encomenda, até à data, de novos camiões elétricos da Tesla, juntando-se a empresas como a Walmart, DHL ou Anheuser-Busch, que também encomendaram estes veículos.

Ao integrarem nas suas frotas estes veículos, as gigantes da distribuição e logística estão a assegurar um lugar no futuro (elétrico e autónomo) da mobilidade, minimizando os custos de distribuição e garantindo maior sustentabilidade energética.

A estratégia de Elon Musk de apresentar Minimum Loveable Products, suficientemente atrativos para ser capaz de gerar um nível elevado de encomendas, tem sido o segredo da Tesla para impulsionar a venda de veículos, mesmo quando a produção e entrega só vão ocorrer daqui a dois anos.

Google abre centro de IA na China

google-ai

A Google vai abrir um centro de investigação em Inteligência Artificial em Pequim, numa altura em que a China se posiciona como um sério candidato a líder mundial na área da IA. A abertura do novo centro prende-se sobretudo com a intenção de usufruir do know-how da comunidade de especialistas chineses em IA e de manter-se próxima deste mercado.

Apesar do motor de busca Google estar bloqueado na China, desde 2010, os programadores chineses podem tirar partido de ferramentas de IA da Google, o que pode ajudar a gigante a aproximar-se dos negócios locais e demonstrar ao governo chinês a utilidade dos seus recursos.

A China é um mercado particular, com regras muito próprias que favorecem as empresas locais e onde os GAFA (Google, Apple, Facebook e Amazon) têm dificuldades em afirmar-se. No entanto, é um mercado que não podem, de todo, ignorar, quer pela sua dimensão, quer pela mão-de-obra especializada.

Disney compra vários ativos da 21st Century Fox

disney_fox

A Disney confirmou a compra de vários ativos da 21st Century Fox. Em cima da mesa está a aquisição do estúdio de Hollywood 20th Century Fox, canais internacionais como a Sky (UK), Star (Índia), FX, National Geographic e a percentagem da Fox na plataforma de over-the-top TV Hulu (da qual a Disney já possui 30%). O negócio envolve 52,4 mil milhões de dólares.

Com a aquisição, a Disney expande a sua presença internacional, aumenta, potencialmente, a sua base de utilizadores e capta mais conteúdos relevantes para o serviço de streaming que planeia lançar em 2019.

Se há empresa de Media que pode ser bem sucedida no lançamento de um serviço deste tipo é a Disney, sobretudo pelo portefólio de conteúdos únicos e pelo facto de ter marcas fortemente reconhecidas.