Amazon vai vender dispositivos médicos em exclusivo

06-PATRICIA-CIRCULAR

Por Patrícia Silva, Gestora de Comunicação e Marketing na FABERNOVEL INNOVATE Lisboa

“Destaques GAFAnomics®” é uma compilação dos artigos mais importantes partilhados internamente pela equipa da FABERNOVEL.

Amazon vai vender dispositivos médicos em exclusivo

A Amazon vai vender em exclusivo dispositivos médicos para a monitorização de pacientes com diabetes e hipertensão da marca Choice, desenvolvida pelo Arcadia Group (consultoria em saúde).

A Amazon está a tornar-se uma one-stop-shop para pacientes com doenças crónicas. Através da farmácia online PillPack (adquiriu por mil milhões de dólares) e de dispositivos médicos, está a criar um “serviço” direct-to-consumer de fornecimento de medicamentos e de ferramentas de monitorização.

Além disso, a Amazon está também a posicionar a Alexa como um concierge de saúde pessoal, que pode impulsionar a compra de produtos na plataforma. É possível que venha a integrar a assistente virtual em dispositivos de saúde, oferecendo recomendações e apoio no tratamento e medicação.

Uber lança serviço de subscrição

A Uber lançou um serviço de subscrição mensal (14,99 dólares/mês), em algumas cidades dos Estados Unidos. O Ride Pass dá acesso a viagens ilimitadas por mês, com tarifas mais baixas que não oscilam consoante a procura, e permite monitorizar quanto se poupou em viagens.

Esta é uma forma de fidelizar os utilizadores ao seu ecossistema, à medida que se transforma numa plataforma multimodal. Com o investimento na micro-mobilidade, através de trotinetes e bicicletas elétricas, e a inclusão de transportes públicos na app, a Uber pode vir a integrar no serviço de subscrição mais modos de deslocação e criar mais argumentos para fidelizar os clientes.

O Ride Pass é também uma “resposta” da Uber ao novo serviço de subscrição mensal da Lyft, que por 299 dólares/mês dá acesso a 30 viagens até 15 dólares cada (se o valor for superior, o cliente paga a diferença).

iPad é o “computador” mais popular do mundo

A Apple vendeu 400 milhões de iPads, desde 2010, e nos últimos 4 trimestres vendeu 44,2 milhões em todo o mundo. A empresa transformou o iPad no “computador” mais popular do mundo, posicionando-o como uma ferramenta de produtividade extremamente ligada à paixão pela criatividade.

Os números foram revelados no evento de apresentação dos novos Mac (MacBook Air e Mac Mini) e do novo iPad Pro, em Nova Iorque.

Durante a apresentação, a Apple deixou uma mensagem subliminar permanente assente em amor e emoções (amor pelo planeta, pela criatividade, pela comunidade e pelos produtos). Com isto, demonstra uma visão de longo prazo centrada no design e nas emoções.

Ainda não foi desta que a Apple lançou o seu serviço de streaming de TV, mas a empresa está claramente a criar uma alavanca ao segmento de serviços ao potenciar o aumento da base de utilizadores dos seus produtos com o lançamento de novos produtos.

“Behind the Mac, people with passion are changing the world for the better”. 

Vídeo e “Stories” são o futuro do Facebook

O Facebook está a construir uma nova visão de futuro para gerar receitas, assente no vídeo e nas “Stories”. A empresa percebeu que a Newsfeed entrou num ponto de saturação em termos de crescimento, especialmente nos EUA e na Europa, e que os novos utilizadores estão em mercados menos lucrativos em termos de publicidade.

O crescimento da receita vai depender da capacidade do Facebook em atrair as marcas para investir em anúncios nos seus serviços de messaging (Messenger, WhatsApp e Instagram) e nas “Stories” (Facebook, WhatsApp e Instagram).

Como é típico numa estratégia GAFAnomics, Mark Zuckerberg está a investir numa visão de longo prazo, que “vendeu” aos investidores numa call sobre os resultados do 3º trimestre. As receitas da empresa apresentaram um crescimento de 33%, face ao trimestre anterior, para 13,7 mil milhões de dólares e o número de utilizadores ativos por mês cresceu 10% para os 2,27 mil milhões.

 


GAFAnomics® [ga-fɑː-nom-iks], substantivo: Novo modelo económico em rede, inspirado pelos GAFA – Google, Apple, Facebook e Amazon – que integra Unicórnios (startups com valorização acima de mil milhões de dólares), gigantes chineses de tecnologia e todas as empresas que mudam as nossas vidas através da tecnologia e inovação.

Outros acrónimos de empresas que seguem estratégias GAFAnomics®:
NATU – Netflix, AirBnB, Tesla e UBER
DUMITA – Baidu, Xiaomi, Tencent e Alibaba (os GAFA chineses).

Durma descansado, os GAFA estão a trabalhar… possivelmente para transformar (disromper) a sua indústria.

ESTUDOS GAFAnomics®:

TESLA: Uploading the Future
GAFAnomics: Nova Economia, Novas Regras
GAFAnomics: 4 super poderes, na Network Economy
UBER: O vírus dos transportes
Amazon: O império escondido
Facebook: A startup perfeita
LinkedIn:  A rede séria

Que tornar a sua empresa numa empresa GAFAnomics® ?
Contacte a FABERNOVEL:

Tagged with: