Bem-vindo ao futuro centrado nos bots

Sabemos que os bots são uma das obsessões de grandes empresas, como o Facebook para combater o domínio das Apps (liderado pela Apple e Google), e que caminhamos para uma crescente ‘humanização’ dos mesmos, que terá impacto nas formas de interação humana. Saiba como é que as empresas podem tirar partido das características dos chatbots, fornecendo um serviço de maior conveniência do que as Apps e serviços web e uma interação facilitada, dado que um chatbot compreende linguagem natural e dispensa um envolvimento emocional, por exemplo.

Por falar em inteligência artificial, sugerimos que espreite o artigo de Benedict Evans, “AI, Apple and Google”, sobre os últimos desenvolvimentos e técnicas aplicadas nesta área, tendo como exemplos Apple e Google.

AmazonEcho
Amazon Echo

A verdade é que as assistentes virtuais estão a ficar cada vez mais íntimas. Os membros do Amazon Prime, por exemplo, já podem comprar itens através da Alexa (integrada no Amazon Echo), sendo esta uma das formas que o CEO da Amazon encontrou para atrair mais clientes para este ‘grupo’. Durante a Code Conference, Jeff Bezos admitiu que esta assistente virtual era o quarto pilar do negócio da empresa.

Os robôs podem, no entanto, desempenhar outros papéis. Conheça o “The Geminoid”, criado pelo professor Hiroshi Ishiguro para… estudar os humanos. Ishiguro está a desenvolver diferentes modelos de robôs para o desempenho de funções como rececionista de hotel, guia de museus ou professor de línguas.

 

Este Morning Toast fecha ao ritmo de avatars bailarinos, concebidos através de imagens reais de pessoas em movimento, utilizando um tipo específico de computação gráfica desenvolvido pela Method Design.

Créditos vídeo e imagem de destaque: Method Design