Porque é que a Altice comprou uma plataforma de distribuição de publicidade?

  • A Altice adquiriu a Teads, uma plataforma de distribuição de vídeo publicitário online. A compra poderá aproximar o operador de telecomunicações dos conteúdos, uma vez que a Teads tem parcerias com mais de 500 publishers, numa altura em que as Telco tendem a fundir-se com empresas de Media.
  • A Teads permitirá à Altice expandir o seu negócio de publicidade com uma proposta de valor que passa por uma publicidade data-driven e em diferentes canais.
  • A estratégia segue os passos de outros operadores de telecomunicações que compraram empresas com tecnologia ligada à publicidade, como é exemplo a compra da AOL e da Yahoo! pela Verizon.
  • Prepara-se para concorrer com a Google e Facebook?

A Altice adquiriu a empresa de publicidade em vídeo online Teads, por 307 milhões de dólares. A aquisição segue os passos de outros operadores de telecomunicações que tem comprado empresas com tecnologia ligada à publicidade: a Verizon comprou a AOL e a Yahoo!; a Singtel comprou a Turn; e a Telenor a Tapad.

O marketplace de vídeo publicitário online da Teads atrai mais de 1,2 mil milhões de visitantes únicos e a empresa tem uma relação próxima com os grandes anunciantes a nível mundial e parcerias com mais de 500 publishers. Para a Altice, esta é uma forma de se aproximar dos produtores de conteúdos, numa altura em que as Telco tendem a fundir-se com empresas de Media.

No entanto, este é sobretudo um posicionamento que permite à Altice expandir o seu negócio de publicidade com uma proposta de valor para as marcas e agências e para a indústria de Media, programadores e distribuidores, que passa por uma publicidade data-driven e em diferentes canais (TV, digital, mobile e tablets).

O negócio de publicidade da Altice gera entre 700 a 750 milhões de euros e usufrui do conhecimento que a empresa tem sobre os seus clientes, através dos dados que recolhe, nomeadamente hábitos de visualização de conteúdos. A anterior aquisição pela Altice da startup Audience Partner, que oferece soluções de publicidade data-driven para múltiplos ecrãs, enriquece a oferta na segmentação de publicidade da Teads.

Já a Teads é pioneira num formato de anúncios em vídeo que podem surgir integrados em qualquer conteúdo de uma página web (inRead).

Concorrer com Google e Facebook?

Pocisionando-se como um operador de telecomunicações, distribuidor de conteúdos e de publicidade, à semelhança do que fez a Verizon com a compra da AOL e Yahoo!, a Altice  passa a ter mais argumentos para concorrer com o Google e Facebook.

Também os publishers e conglomerados de TV estão a unir forças para concorrer os gigantes da publicidade online. É o caso da Condé Nast que criou uma parceria com a NBC Universal e com a Vox Media para a venda de anúncios nas plataformas digitais dos 3 grupos. A Condé Nast juntou-se, assim, ao Concert, o marketplace de publicidade criado pela NBC Universal e pela Vox Media.

Em Portugal, vários meios de comunicação (Cofina, Global Media Group, Impresa, Media Capital e Renascença) vão lançar uma plataforma de segmentação de audiências (através de um registo único o utilizador poderá aceder às plataformas digitais de todos estes meios de comunicação). Será viável uma parceria com a Altice, uma vez que esta possui uma plataforma de distribuição de publicidade com dimensão internacional? O que permite mesmo em broadcast e on-demand a distribuição de publicidade segmentada através da Boxes de TV do MEO, SFR (em França), etc. assim como para SetTop Box (Apple TV, FireTV,…) e SmartTV´s.

E a confirmarem-se os recentes rumores de que a Altice pode estar a avaliar a aquisição de grupos de Media nacional (com estações de televisão), a concretizar-se será a inteligente integração total na cadeia de valor: Serviços de telecomunicações, produção de conteúdos e distribuição de publicidade (multiplataforma).

Aguardamos cenas dos próximos capítulos…