Yahoo!: Novo capítulo sob chapéu da Verizon

A Yahoo! começou por ser um diretório de websites e motor de busca, mas rapidamente se transformou num “novo media”, produzindo conteúdos exclusivos para Internet. Para entender o futuro da Yahoo! na Verizon/AOL vale a pena revisitar o passado.

YIL-Dez99

A Yahoo! chegou a ter, em 1999, uma revista em papel, em parceria com a Ziff Davis, a Yahoo! Internet Life, e, em 2006, lançou o primeiro programa diário em vídeo na Internet “The 9!“, quebrando assim a barreira que separava as tecnológicas dos Media.

A tendência de migração da TV tradicional para conteúdos de vídeo digitais exclusivos (YouTube Originals), serviços de subscrição de vídeos on-demand (Netflix, Hulu) e live streaming nas redes sociais criou um desafio para as empresas de media tradicionais e operadoras de telecomunicações (além da distribuição de conteúdos, o mercado da publicidade digital é maioritariamente dominado por players tecnológicos).

Colocando-se no meio das tecnológicas e dos produtores de media, a gigante de telecomunicações Verizon adquiriu a AOL, no ano passado, por 4,4 mil milhões de dólares, o que lhe permitiu ficar com projetos de media digital (Huffington Post, Tech Crunch e Engadget) e integrar nas suas plataformas as ferramenta de gestão de publicidade da AOL, com potencial de diferenciação na oferta para os produtores de conteúdos.

Com a aquisição, agora, da Yahoo! (4,8 mil milhões de dólares), a Verizon pode vir a cruzar informação entre as plataformas que adquiriu da AOL e Yahoo! e integrar as plataformas de publicidade, somando, agora, a este portfólio os mil milhões de utilizadores da Yahoo!, novos sites (Tumblr, Yahoo! Finance e Yahoo! Sports) e tecnológicas ligadas à publicidade digital (Flurry e BrightRoll).

Com esta estratégia, a Verizon reforça a sua posição no mercado da publicidade digital, oferecendo conteúdos e publicidade altamente personalizados para online e TV. Este deverá ser o nascimento da nova entidade Yahoo!-AOL, sob o comando de Tim Armstrong, CEO da AOL.

A Yahoo! foi talvez a grande referência no início da Internet e a sua história foi marcada por altos e baixos, um desses momentos foi a OPA por parte da Microsoft, em 2008, rejeitada pelo seu co-fundador Jerry Yang, que estava otimista em relação à recuperação da empresa. Mas também sofreu outras pressões por parte dos acionistas. Hoje, o maior ativo da Yahoo! é a participação na Alibaba (participação que não foi incluída nesta venda).

Vale a pena recordar a entrevista que Jerry Yang deu a Charlie Rose, em 1999, onde explica como, juntamente com David Filo, criou em 1994 a Yahoo! – na altura um diretório de websites designado “Jerry and David’s Guide to the World Wide Web” que passou a integrar fornecedores de email, serviços de alojamento web e transmissão simultânea de vídeo e rádio e que, agora, poderá passar por fazer parte de uma oferta integrada de Tecnologia, Media e Telecomunicações.

Este reforço da Verizon é importante não apenas pelos conteúdos e complementaridade de produtos editoriais entre a AOL (com áreas como a política e entretenimento) e da Yahoo! (finanças/economia e desporto), mas também por uma expansão da audiência e tecnologia de publicidade que poderá integrar nas suas plataformas web, mobile e TV (detendo novos direitos televisivos).

É cedo para perceber o que nos espera desta nova etapa da Yahoo!, mas mantem-se verdadeira a frase do seu fundador sobre a Internet: “O futuro da Internet depende tanto das pessoas como da tecnologia” – Jerry Yang (2000).

Análise e comentário no Económico TV de Nuno Ribeiro – Portugal Country Manager da FABERNOVEL