DESTAQUES GAFANOMICS® [19/FEV/2018]

#ancora1 #ancora2#ancora3

06-PATRICIA-CIRCULAR

Por Patrícia Silva, Gestora de Comunicação e Marketing na FABERNOVEL INNOVATE Lisboa

“Destaques GAFAnomics®” é uma compilação dos artigos mais importantes partilhados internamente pela equipa da FABERNOVEL.

Amazon lança serviço de entregas para empresas

Shipping with Amazon

“Shipping with Amazon”. É este o nome do novo serviço de entregas B2B da Amazon, que se posiciona como um concorrente das empresas de logística UPS e FedEx. Esta novidade é relevante para a Amazon por três motivos:

    • O factor preço: a Amazon vai aproveitar a capacidade excedente dos seus camiões e aviões para transportar os produtos de outras empresas, o que lhe permite oferecer preços mais reduzidos e atrair clientes com mais facilidade.
    • Um maior controlo sob a rede de logística. Ao atrair as empresas (sobretudo as) que vendem na sua plataforma para o novo serviço, a Amazon consegue coordenar significativamente melhor as operações de fulfillment e ter maior controlo sob as entregas, garantindo maior eficiência e rapidez.
    • Alargamento da oferta do Amazon Prime. A Amazon pode mais facilmente passar a distribuir qualquer produto de um vendedor que adira ao “Shipping with Amazon”, alargando a seleção de produtos do programa de fidelização Amazon Prime.

Google quer “afastar” utilizadores dos media sociais

amp-stories

A Google está a tentar controlar a distribuição de conteúdos no mobile. A empresa lançou uma nova funcionalidade que permite às empresas de Media criar conteúdos interativos, que surgem nos resultados de pesquisa num formato semelhante às “Stories” do Snapchat, Instagram e Facebook.

Com as “AMP Stories“, a Google está a tentar “afastar” os utilizadores das apps dos medias sociais: a app do Facebook domina em termos de tempo de utilização no mobile e representa uma ameaça às receitas do negócio de publicidade da Google. Ao criar um “ambiente” semelhante ao das apps dos medias sociais, quer encorajar os utilizadores a passar mais tempo nas suas plataformas.

Para os Media esta pode ser uma potencial fonte de receitas, através da integração de publicidade nas AMP Stories, e uma forma de atrair uma audiência mais jovem e de criar maior envolvimento.

Tecnológicas na corrida a conteúdos da NFL

tecnologicas-NFL

Amazon, YouTube e Twitter estão na corrida pelos direitos de transmissão de jogos da NFL, nos próximos anos. O Twitter pagou 10 milhões de dólares pelos direitos de streaming no digital destes jogos em 2016 e a Amazon 50 milhões, em 2017. Ao que tudo indica, este ano, algumas empresas pretendem fechar um acordo que pode ir até 5 anos.

As 3 empresas diferenciam-se pela capacidade de oferecer uma experiência mais interativa e imersiva, com comentários de media sociais integrados e estatísticas em tempo real – aproximando-se de um videojogo.

Os players digitais estão a tornar-se uma séria ameaça aos players tradicionais de TV, que têm os conteúdos de desporto como uma grande fonte de audiência e receita. Será só uma questão de tempo até que uma gigante tecnológica se torne o principal distribuidor de conteúdos de uma das grandes ligas desportivas? É muito provável que sim.

Apple Watch vende mais do que toda a indústria suíça

Apple Watch

A Apple vendeu mais relógios do que a Rolex, Omega, Swatch e outras marcas da indústria de relógios suíça em conjunto: no último trimestre de 2017, vendeu cerca de 8 milhões de Apple Watch.

Em 3 anos, a Apple foi capaz de superar toda a indústria suíca, que fabrica relógios há séculos, e é já a marca nº1 de relógios do mundo. O potencial do Apple Watch é enorme, pois tudo indica que a Apple quer fazer deste um dispositivo incontornável na área da saúde.

Os wearables (incluindo Apple Watch, AirPods e Beats) são o segundo maior responsável pelo crescimento da receita da Apple, a seguir ao iPhone, e, segundo o CEO da empresa, Tim Cook, o negócio de wearables da Apple tem a dimensão suficiente para constar da lista de empresas Fortune 300.


GAFAnomics® [ga-fɑː-nom-iks], substantivo: Novo modelo económico em rede, inspirado pelos GAFA – Google, Apple, Facebook e Amazon – que integra Unicórnios (startups com valorização acima de mil milhões de dólares), gigantes chineses de tecnologia e todas as empresas que mudam as nossas vidas através da tecnologia e inovação.

Outros acrónimos de empresas que seguem estratégias GAFAnomics®:
NATU – Netflix, AirBnB, Tesla e UBER
DUMITA – Baidu, Xiaomi, Tencent e Alibaba (os GAFA chineses).

Durma descansado, os GAFA estão a trabalhar… possivelmente para transformar (disromper) a sua indústria.

ESTUDOS GAFAnomics®:

TESLA: Uploading the Future
GAFAnomics: Nova Economia, Novas Regras
GAFAnomics: 4 super poderes, na NetworkEconomy
UBER: O vírus dos transportes
Amazon: O império escondido
Facebook: A startup perfeita
LinkedIn:  A rede séria

Que tornar a sua empresa numa empresa GAFAnomics® ?
Contacte a FABERNOVEL INNOVATE:

Tagged with: