Amazon Pay chega ao retalho físico

06-PATRICIA-CIRCULAR

Por Patrícia Silva, Gestora de Comunicação e Marketing na FABERNOVEL INNOVATE Lisboa

“Destaques GAFAnomics®” é uma compilação dos artigos mais importantes partilhados internamente pela equipa da FABERNOVEL.

Amazon Pay chega ao retalho físico

O Amazon Pay está a chegar ao retalho físico, desafiando o Apple Pay e o Google Pay. A Amazon está a tentar introduzir o seu sistema como opção de pagamento em restaurantes, estações de serviço e lojas.

A Amazon pode vir a oferecer comissões mais reduzidas pelo processamento de pagamentos, de forma a atrair os retalhistas – a mesma estratégia que utiliza online para incentivar os comerciantes a adicionar o Amazon Pay como opção de pagamento nos seus sites.

A Amazon tem a vantagem de ter uma vasta base de clientes e mais de 100 milhões de membros do Amazon Prime, que são potenciais utilizadores do Amazon Pay.

Este é mais um passo para solidificar o seu posicionamento como um player na área de pagamentos. A empresa tem investido no crescimento do Amazon Pay, particularmente na Índia (incluindo também crédito e seguros), lançou um cartão de crédito em parceria com a American Express (nos EUA) e, ao que tudo indica, tenciona desenvolver um produto semelhante a uma conta corrente, em parceria com JPMorgan Chase e o Capital One.

Facebook expande agregador de notícias locais

O Facebook expandiu a 400 cidades nos EUA o seu agregador de notícias locais “Today In” e iniciou os primeiros testes, internacionalmente, na Austrália.

Esta secção da App do Facebook insere-se na estratégia da empresa de fortalecimento da ligação das comunidades e dos grupos para potenciar interações que os utilizadores valorizam. Além disso, faz também parte dos esforços para combater as notícias falsas e o clickbait, de forma a melhorar a experiência na plataforma (Facebook selecionou os Media que distribuem conteúdos no “Today In”).

O Facebook está também a posicionar o “Today In” como um serviço público ao integrar alertas das autoridades locais (encerramento de ruas, blackouts, desastres naturais, etc.). Esta é uma forma de criar maior valor para os utilizadores, permitindo planear melhor o seu dia-a-dia, com base em informações que recebem em tempo real.

local-alert-example-charlotte

Airbnb vai criar habitações do futuro

O Airbnb lançou o Backyard, um novo projeto para criar as habitações do futuro. A empresa está a explorar técnicas de construção e tecnologias para casas inteligentes, utilizando também os insights da comunidade Airbnb para entender as necessidades dos seus utilizadores.

O Airbnb transformou a indústria hoteleira ao identificar uma capacidade em excesso de casas e quartos, que lhe permitiu captar e oferecer micro-negócios. Agora, está a diversificar o seu modelo de negócio passando do alojamento para a arquitectura e planeamento urbano.

O projeto Backyard pode ser um prenúncio das habitações do futuro: concebidas para serem partilhadas (podendo ser utilizadas para co-living), modulares (reconfiguradas para se adaptar, permanentemente, às necessidades), flexíveis (promovem a partilha e a troca) e sustentáveis.

Amazon vai examinar registos clínicos

A Amazon lançou um novo serviço que recorre a machine learning para extrair informações médicas relevantes de dados clínicos “desorganizados”  (anotações médicas, prescrições, entrevistas em áudio,…). A empresa quer posicionar o Amazon Comprehend Medical como uma ferramenta de apoio às decisões de tratamento e para a gestão de testes clínicos.

Este é mais um investimento da Amazon para expandir a oferta de serviços da Amazon Web Services na área da saúde, que pode atrair várias organizações do setor. Cerca de 80% dos dados de saúde estão “desorganizados” e em silos, pelo que o serviço da Amazon pode ser extremamente relevante para organizar estes dados e reduzir custos ligados a testes clínicos e ao desenvolvimento de medicamentos.

A tecnologia da Amazon está a ser utilizada num centro de investigação oncológico, em Seattle, para ajudar a identificar para testes clínicos os doentes que podem beneficiar de terapias oncológicas específicas.

 


GAFAnomics® [ga-fɑː-nom-iks], substantivo: Novo modelo económico em rede, inspirado pelos GAFA – Google, Apple, Facebook e Amazon – que integra Unicórnios (startups com valorização acima de mil milhões de dólares), gigantes chineses de tecnologia e todas as empresas que mudam as nossas vidas através da tecnologia e inovação.

Outros acrónimos de empresas que seguem estratégias GAFAnomics®:
NATU – Netflix, AirBnB, Tesla e UBER
DUMITA – Baidu, Xiaomi, Tencent e Alibaba (os GAFA chineses).

Durma descansado, os GAFA estão a trabalhar… possivelmente para transformar (disromper) a sua indústria.

ESTUDOS GAFAnomics®:

TESLA: Uploading the Future
GAFAnomics: Nova Economia, Novas Regras
GAFAnomics: 4 super poderes, na Network Economy
UBER: O vírus dos transportes
Amazon: O império escondido
Facebook: A startup perfeita
LinkedIn:  A rede séria

Que tornar a sua empresa numa empresa GAFAnomics® ?
Contacte a FABERNOVEL:

Tagged with: