Carnival: O poder da personalização da experiência

  • A Carnival desenvolveu um wearable e uma App que permitem uma experiência altamente personalizada dentro de cruzeiros.
  • O cruzeiro “The Regal Princess” será o primeiro a testar o projeto da Carnival.

A personalização da experiência de cada utilizador é um dos drivers chave para triunfar na network economy. E se está a pensar de que forma este “Super Poder” se poderia manifestar na sua empresa, o novo projeto da Carnival dá pistas concretas.

A gigante da indústria dos cruzeiros está a afirmar-se como uma empresa íntima, na qual a hospitalidade é a norma. Através do projeto Ocean Medallion, prepara-se para utilizar o conhecimento que recolhe sobre cada cliente para personalizar as experiências e garantir relações íntimas e duradouras.

Através de um wearable (relógio com braceletes personalizadas ou colar), a Carnival elimina diferentes “pontos de atrito”: o passageiro entra no cruzeiro sem a necessidade de esperar na fila para fazer check-in; pode entrar diretamente nos quartos, fazer compras, pedir bebidas, etc.

ocean-medallionA empresa desenvolveu também uma App que permite alterar o itinerário e fazer novas reservas, como em restaurantes, espetáculos ou outras actividades.

A personalização das sugestões começa por ser feita com base no percurso digital no site. Já a bordo, 7 mil sensores estão distribuídos pelo cruzeiro para entender a localização e interação dos clientes, de forma a enviar, através da App, sugestões com base na localização.

John Padgett, Chief Experience Officer da Carnival, transpôs o conceito da plataforma MyMagic+ da Disney – no qual participou quando esteve na Disney – para os cruzeiros da Carnival.

Resultado? Relações mais íntimas

  • Os touchscreens espalhados pelo cruzeiro reconhecem o passageiro quando este passa por eles;
  • Todas as bebidas solicitadas ou actividades realizadas serão utilizadas como base para fazer futuras recomendações;
  • Os membros do staff sabem automaticamente o nome do passageiro quando este se aproxima, sabem que rota estão a fazer e podem antecipar que tipo de ajuda necessitam;
  • O passageiro poderá encomendar tudo o que desejar, a partir de qualquer parte do cruzeiro, e um membro do staff fará a entrega – um misto entre um “Uber” para tudo e um “Netflix” no campo das recomendações.

O cruzeiro “The Regal Princess” será o primeiro a testar o projeto da Carnival, no próximo mês de Novembro.

Encontra semelhanças com o que vimos no filme de ficção científica “Minority Report”? É provável, sobretudo no que toca ao reconhecimento do utilizador quando este se aproxima de um ponto de contacto.