DESTAQUES GAFANOMICS® [19/JAN/2018]

gafanomics

#ancora1 #ancora2#ancora3

06-PATRICIA-CIRCULAR

Por Patrícia Silva, Gestora de Comunicação e Marketing na FABERNOVEL INNOVATE Lisboa

“Destaques GAFAnomics®” é uma compilação dos artigos mais importantes partilhados internamente pela equipa da FABERNOVEL.

Zuckerberg quer “consertar” o Facebook ⚙

Facebook

O Facebook anunciou que vai fazer alterações ao seu algoritmo. A empresa planeia passar a dar maior destaque à actividade dos utilizadores em detrimento dos conteúdos de empresas, marcas e Media.

Mark Zuckerberg tem a capacidade de fazer mudanças drásticas quando sente que são inevitáveis. Exemplo disso foi ter migrado para o mobile antes que fosse tarde demais, não apenas adaptando o Facebook, mas adquirindo empresas como o Instagram e o WhatsApp.

Isto quer dizer que o Facebook anda ao “sabor do vento”? Quase isso, mas esta não deixa de ser uma estratégia em si. Como explicou Ben Evan: “O Facebook guia-se pelo comportamento dos utilizadores. E vai para onde estes forem. É por isso que parece um parceiro em quem não se pode confiar. Convida-nos a entrar na prancha, mas se a desequilibrar-mos, empurra-nos. E esta não é uma questão de escolha, se não o fizer acaba no fundo do oceano, ao lado do MySpace.”

Apple vai repatriar 250 mil milhões de dólares 😱

Loja Apple, Nova Iorque

A Apple é, de longe, a empresa com maior volume de capital fora dos EUA. São cerca de 252 mil milhões de dólares que vão, agora, ser repatriados quase na totalidade, no seguimento da nova política fiscal dos EUA que inclui uma de redução de imposto no repatriamento de capitais (de 35% para 15,5%).

Deste montante, 38 mil milhões de dólares destinam-se a impostos. Outros 30 mil milhões de dólares vão ser investidos, nos próximos 5 anos, na criação de 20 mil novos empregos diretos, na abertura de um novo campus e na construção de data centers. A Apple estima que tudo isto tenha um impacto de 350 mil milhões de dólares na economia norte-americana.

Este é um anúncio com um grande significado para a empresa, que, de alguma forma, coloca pressão noutras gigantes para seguir o mesmo caminho.

Com a repatriação deste capital, é muito possível que venha a efetuar novas aquisições e que se torne a primeira empresa com uma capitalização bolsista superior a 1 bilião de dólares.

Google desafia Amazon e Microsoft no negócio cloud? ☁

google cloud

A Google está a impulsionar o seu negócio cloud ao criar serviços de inteligência artificial (IA) ready-to-go para as empresas, ligados ao reconhecimento de imagem e reconhecimento de voz. Recentemente, a empresa lançou uma nova plataforma de machine learning que simplifica a integração de IA em aplicações e que já está a ser utilizada por empresas como a Disney e a Urban Outfitters.

Este serviço já permite reconhecer imagens e, com a crescente tendência de pesquisas visuais na experiência de compra, a Google está a fazer deste um dos seus argumentos para alavancar o seu negócio cloud.

A Amazon e a Microsoft são os líderes da cloud, com 62% e 20% de quota de mercado, respetivamente, no último trimestre de 2017. A Google ficou-se pelos 12% (cresceu apenas 2%), mas está empenhada em conquistar uma maior quota deste mercado.

Amazon prepara entrada no setor da saúde 💊 💉

Alexa saúde

A Amazon está a dar sinais concretos de que está a preparar a sua entrada no setor da saúde. Num novo anúncio de emprego, a empresa solicita um especialista na lei federal de privacidade que regula como os dados relativos à saúde são armazenados e utilizados. Na descrição, a Amazon refere uma “nova iniciativa” e procura um colaborador com experiência em processos de aprovação de novos dispositivos, incluindo serviços de software, pela FDA (Food and Drug Administration).

Ao que tudo indica, esta nova iniciativa está ligada à Alexa, a assistente de voz da gigante tecnológica. Oferecer um serviço de saúde é um passo lógico para reforçar a proposta de valor da Alexa, que é um hub da Amazon em dezenas de milhões de habitações.

A Amazon foi apontada como a empresa mais temida por outras organizações e ao que parece as empresas que operam na área saúde têm cada vez mais motivos para estarem preocupadas…


GAFAnomics® [ga-fɑː-nom-iks], substantivo: Novo modelo económico em rede, inspirado pelos GAFA – Google, Apple, Facebook e Amazon – que integra Unicórnios (startups com valorização acima de mil milhões de dólares), gigantes chineses de tecnologia e todas as empresas que mudam as nossas vidas através da tecnologia e inovação.

Outros acrónimos de empresas que seguem estratégias GAFAnomics®:
NATU – Netflix, AirBnB, Tesla e UBER
DUMITA – Baidu, Xiaomi, Tencent e Alibaba (os GAFA chineses).

Durma descansado, os GAFA estão a trabalhar… possivelmente para transformar (disromper) a sua indústria.

ESTUDOS GAFAnomics®:

TESLA: Uploading the Future
GAFAnomics: Nova Economia, Novas Regras
GAFAnomics: 4 super poderes, na NetworkEconomy
UBER: O vírus dos transportes
Amazon: O império escondido
Facebook: A startup perfeita
LinkedIn:  A rede séria

Que tornar a sua empresa numa empresa GAFAnomics® ?
Contacte a FABERNOVEL INNOVATE:

Tagged with: