Tencent: resultados do 4º trimestre e do ano 2018

 

Jeremy Taïeb, Value Analyst e
Guillaume Gombert, Lead Strategist na FABERNOVEL

A análise

A Tencent apresentou resultados contrastantes, mas sem grandes surpresas no 4º trimestre e no ano de 2018. Os resultados são mais uma confirmação do modelo impressionante da empresa centrado na sua infraestrutura e no seu ecossistema, que oferece novas oportunidades para a criação de valor a longo prazo.

Apesar do crescimento das receitas no 4º trimestre (+28%), sobretudo graças à diversificação das atividades de negócio da Tencent, a margem do grupo foi afetada negativamente pela desaceleração do negócio de videojogos que foi contrabalançado, em parte, por uma melhor gestão de OPEXs.

A estratégia de investimento agressiva da Tencent permitiu-lhe reforçar o ecossistema e manter-se relevante a longo prazo.

Contudo, a atividade da Tencent pode vir a consolidar-se. A empresa recuperou fortemente nos últimos meses (+50% em termos absolutos desde 30 de outubro e +20% em 2019) e os múltiplos de avaliação são bastante elevados em comparação com seus pares (EV/EBITDA 2019e em 23x contra 13x para a Google, 13x para a Apple, 12x para o Facebook, 21x para a Amazon, 27x para Alibaba e 14x para a Baidu).

O essencial

1. Os lucros em desaceleração

“O lançamento de jogos tanto para nós, como para a indústria em geral deverá acontecer, inicialmente, mais lentamente do que em anos anteriores.” – Tencent

Apesar de um volume de negócios acima das expectativas e de um investimento em marketing mais controlado no 4º trimestre, a Tencent decepcionou na sua margem operacional e no seu lucro.

A descida da margem operacional  (de 39% no 4º trimestre de 2017 para 22% no 4º trimestre de 2018), é um reflexo de dois elementos-chave: o aumento dos investimentos da Tencent e a estagnação do negócio de “videojogos”.

No entanto, esta estagnação – que explica a impossibilidade de rentabilizar jogos como Fortnite ou o PUBG (o jogo mais popular do mundo para smartphone) por causa da regulamentação imposta pelo governo chinês para os videojogos – poderá ter consequências positivas para a Tencent a longo prazo.

De facto, graças às restrições ao lançamento de videojogos durante vários meses, a Tencent ganhou quota de mercado, com o desaparecimento de players de menor dimensão. Uma vez que a restrição acabou em dezembro de 2018, a quota de mercado conquistada pode permitir à empresa rentabilizar esta base de utilizadores com o lançamento de novos jogos.

Até à data, a Tencent só recebeu autorização do governo chinês para 9 jogos, por isso, informou os investidores de que o lançamento de videojogos será lenta tanto para si como para a indústria de videojogos em geral.

2) A cloud e os pagamentos: Serão os maiores negócios em crecsimento para a Tencent?

“No ecossistema, o nosso serviço de pagamentos alarga a adopção por um cada vez maior número de utilizadores e de comerciantes, o que nos permite um crescimento no tráfego de transações comerciais e incentivar a utilização de outros produtos FinTech.” – Tencent

 

As receitas de pagamentos e cloud aumentaram 76% em relação ao último trimestre de 2017, tornando-se, pela primeira vez, a principal actividade do grupo em termos de volume de negócios (29% das receitas totais no 4º trimestre de 2018 em comparação com 21% no 4º trimestre de 2017). Este é o segmento em crescimento mais rápido por 2 razões principais:

  • A infraestrutura da Tencent que permite responder a quase todas as necessidades dos seus utilizadores (WeChat é, por exemplo, uma aplicação “utilitária” que visa fornecer o maior número possível de serviços aos seus utilizadores).
  • O ecossistema da Tencent está a crescer: além do facto de a Tencent ter ultrapassado os mil milhões de utilizadores no WeChat e no Weixin em conjunto, o número de comerciantes que utilizam as soluções WeChat Pay aumentou significativamente (+80% num ano), assim como o número de utilizadores dos mini-programas (+54%), que são sub-aplicações com acesso via stream e que dispensam o download através dos servidores da Tencent. Como consequência, esta é uma forma de alimentar as receitas geradas pelo negócio cloud da Tencent. De certa forma, a Tencent é capaz de alimentar sua própria cloud, atraindo mais utilizadores para as suas plataformas.

Por outro lado, a plataforma de gestão de património LiCaiTong, que geria mais de 600 mil milhões de yuans no final de 2018, permite à Tencent desenvolver o seu negócio FinTech, ligando esta plataforma ao Weixin Pay, aumentando, assim, a sua base de utilizadores.

Hoje, a Tencent tem a maior plataforma de pagamentos móveis da China, apesar da forte concorrência. Este segmento também poderia beneficiar de uma margem elevada, excluindo os custos de marketing.

3) Os investimentos da Tencent

“Investimos em mais de 700 empresas. Mais de 100 empresas em que investimos atingiram uma valorização de mais de mil milhões de dólares cada. Entre as quais, 60 entraram em bolsa” – Tencent

Para estimular o crescimento interno e, nomeadamente o da cloud, a Tencent continua a fazer investimentos para a integração de inteligência artificial e de soluções de big data na Tencent Cloud. Estes investimentos permitem reforçar o crescimento orgânico do grupo e, ao mesmo tempo, ajudam mais empresas na sua transformação digital.

Quanto ao crescimento externo, a Tencent prepara-se para investir em grande escala no seu ecossistema com o objetivo de estruturá-lo e fazê-lo crescer, aproveitando assim oportunidades emergentes.

Este investimento tem a capacidade de fazer crescer uma rede de players que beneficia diretamente a Tencent: cria valor para os seus parceiros (sobre os quais a Tencent receberá dividendos), mas também criará sinergias com os seus verticais.

A 31 de dezembro de 2018, o valor dos investimentos da Tencent em empresas cotadas em bolsa ultrapassou os 35 milhões de dólares.

Saiba mais sobre a Tencent e a sua plataforma WeChat no estudo da FABERNOVEL: WeChat: The shape of the connected China


GAFAnomics® [ga-fɑː-nom-iks], substantivo: Novo modelo económico em rede, inspirado pelos GAFA – Google, Apple, Facebook e Amazon – que integra Unicórnios (startups com valorização acima de mil milhões de dólares), gigantes chineses de tecnologia e todas as empresas que mudam as nossas vidas através da tecnologia e inovação.

Outros acrónimos de empresas que seguem estratégias GAFAnomics®:
NATU – Netflix, AirBnB, Tesla e UBER
BATX – Baidu, Alibaba, Tencent e Xiaomi (os GAFA chineses).

Durma descansado, os GAFA estão a trabalhar… possivelmente para transformar (disromper) a sua indústria.

ESTUDOS GAFAnomics®:

WeChat: The shape of connected China
TESLA: Uploading the Future

GAFAnomics: Nova Economia, Novas Regras
GAFAnomics: 4 super poderes, na Network Economy
UBER: O vírus dos transportes
Amazon: O império escondido
Facebook: A startup perfeita
LinkedIn:  A rede séria

Que tornar a sua empresa numa empresa GAFAnomics® ?
Contacte a FABERNOVEL: