Autor: Nuno Ribeiro

Country Manager da agência de inovação FABERNOVEL. Autor do livro Gerir na Era Digital (2011). Licenciado em Economia pela Universidade Católica de Lisboa, onde também concluiu um curso avançado de Gestão de Empresas Tecnológicas e uma pós-graduação em Gestão de Media e Entretenimento. Diretor a unidade Negócio Multimédia do grupo Controlinveste (2008 a 2012). Diretor da unidade de negócios de Internet do grupo Cofina Media (1999 a 2008). Consultor do secretário de Estado da Comunicação Social para a área digital (1997 a 2002).
Read More

Akamai e Limelight Networks na “lista de compras”

Na passada semana, em entrevista ao canal económico Bloomberg, a directora geral da Optimum Investment Avisors, Thyara Zerhusen, referiu que a empresa Akamai (NSDQ:AKAM) (líder na distribuição de conteúdos on line), é uma das empresas que pode ser alvo de uma aquisição.

A evolução positiva da cotação das acções na última semana, com uma valorização de 8,23%, podem indicar esse sentimento e já despertou o interesse dos investidores e especuladores.

De facto, há motivos para que alguns gigantes possam estar a avaliar a compra da Akamai.

imagesE qual o interesse para um gigante na aquisição da Akamai?
A Akamai tem uma rede de 65 mil servidores distribuídos por mais de mil empresas de telecomunicações em 70 países garantindo uma boa performance na distribuição de conteúdos. Este é um ponto crítico para garantir o sucesso de negócios on line que necessitam de alta disponibilidade.
A Akamai foi fundada em 1998 e o seu primeiro cliente foi o Yahoo!. Desde então a lista de clientes não pára de crescer, incluindo as maiores empresas mundiais de todos os sectores: Apple, Amazon, BBC, CNet, Google, IBM, Microsoft, Nasa, Sony,…
Hoje, a Akamai tem uma capitalização bolsista de 8,69 mil milhões de dólares.

A que gigantes pode interessar?
Na área das Tecnologias os potenciais candidatos a uma eventual aquisição da Akamai são: Apple, Amazon.com, Google, Microsoft, IBM e Intel.

Google comprou o site Like.com

O Google fez mais uma aquisição. Desta vez foi o site de pesquisa de produtos Like.com.
Para além do negócio gerado por este site, o domínio Like.com deve ter sido altamente valorizado numa altura em que o Google prepara uma rede social para concorrer com o Facebook onde o “Like” visível em muitos sites e é associado ao Facebook.

O nome de código divulgado é Google Me, mas é uma má opção pois a Apple tem o domínio Me.com que neste momento é utilizado para o serviço Mobile Me, mas que pode vir a agregar mais serviços e quem sabe também uma rede social com conteúdos do iTunes: músicas, filmes, apps, etc.?

O nome e domínio Like.com pode, por isso, ser uma boa opção para o Google baptizar a sua rede social onde poderá agregar também os serviços actuais do Like.com.

Qual das tecnológicas teve melhor desempenho bolsista nos primeiros seis anos: Microsoft, Apple ou Google?

Todos temos a percepção, do rápido crescimento e da performance bolsista do Google, mas a análise comparativa com os “rivais” Apple e Microsoft é interessante e surpreendente aos dias de hoje.

A Apple foi a primeira a entrar em bolsa (OPV – Oferta Pública de Venda), em 12 de Dezembro de 1980. Seguiu-se a Microsoft em 14 de Março de 1986 e o Google em 19 de Agosto de 2004.

Read More

Nicholas Negroponte: Os livros físicos vão morrer dentro de 5 anos

O maior visionário da Era Digital – Nicholas Negroponte – referiu na semana passada numa conferência da CNBC que os livros físicos vão morrer dentro de 5 anos. Estou certo que muitos estão cépticos sobre esta afirmação de Negroponte, mas vale a pena reflectir antes de dizer: “Impossível!”
Para muitos, esta realidade pode ainda estar longe, mas se percebermos a velocidade que o iPad, Kindle, Nook e outros tablets estão a vender e a forma como as editorias e distribuidoras (como a Amazon.com), se estão a adaptar e a criar novos modelos de negócio e principalmente, como os consumidores estão a alterar a forma de consumo é fácil perceber que Nicholas Negroponte pode estar (como habitualmente) certo neste assunto.

Apple: Woz não saias do “Museu”

Steve Wozniak (Woz), fundador da Apple com Steve Jobs, continua a “meter água” depois de ter deitado “gasolina” no caso “Antennagate”.
Quando a “tempestade” sobre a antena do iPhone 4 estava ao rubro, Woz deu uma entrevista onde “deitou gasolina” sobre o tema “quente” – referindo que ele próprio tinha sentido problemas de recepção no seu iPhone 4 – mesmo antes da conferência de Steve Jobs para esclarecer o assunto.

Amazon Web Services pode chegar aos mil milhões de dólares em 2012

O crescimento da Amazon.com, obrigou a empresa a grandes investimentos de infra-estrutura. A empresa fundada e liderada por Jeff Bezos criou um negócio de futuro – “cloud computing” – onde é lider.
Segundo os analistas da UBS a Amazon Web Services continuará a liderar e com forte crescimento, podendo atingir um volume de negócios de mil milhões de dólares e “sugerem” um Spin Off para a criação de uma nova empresa que poderá ter uma valorização de 3,4 a 3,8 mil milhões de dólares.

Read More

Softbank investe 150 milhões de dólares na Zynga

Depois da fundo de investimento Russo Digital Sky Technologies ter investido 180 milhões de dólares (em Dezembro de 2009), o Google segundo o Techcrunch investiu secretamente entre 100 milhões a 200 milhões e agora é a vez do gigante Softbank investir 150 milhões.
A Softbank é desde sempre um dos maiores investidores na área de IT, Dotcom e Media. A Softbank é o maior accionista do Yahoo! Japão e representante e distribuidor da Microsoft na Ásia.

Disney em negociações para adquirir Playdom

Segundo o blog Techcrunch a Disney está a negociar a aquisição da Playdom (por um valor de cerca de 345 milhões de dólares).

A Playdom tem mais de 38 milhões de utilizadores activos e criou já cerca de 18 jogos que estão disponíveis nas redes sociaisFacebook, MySpace também através de aplicações para iPhone.

Em Maio deste ano, o canal ESPN (desporto) da Disney, assinou um contrato com a Playdom para encomendar jogos para as redes sociais. Pode ter sido o início da “relação” entre a Disney e a Playdom, que tudo indica irá culminar na aquisição.

Nokia: Resultados do trimestre (lucros descem 40%)

A Nokia divulgou os resultados do último trimestre. As receitas subiram 1% e o número de telemóveis vendidos 8% no acumulado do ano. Na área de smartphone a Nokia cresceu as suas vendas em 42%.
Apesar do número de unidades vendidas ter ultrapassado as 111 milhões (cerca de mais 8% no crescimento anual). No entanto, os lucros desceram 40% o que pode estar a acelerar a saída do CEO da Nokia – Olli-Pekka Kallasvuo.

eBay: Resultados do trimestre

O eBay ( NASDAQ:EBAY ), apresentou os resultados do trimestre e ultrapassou as expectativas dos analistas.
O eBay apresenta um crescimento sustentado ao longo dos últimos trimestres. O PayPal (pagamentos on line), que pertence ao eBay, surpreendeu com um lucro líquido de 817 milhões de dólares e um volume de transacções de 21,4 mil milhões. Para além do PayPal o eBay também detêm o Skype ( serviço de telefone)

Apple: Resultados do trimestre

A maior empresa de tecnologia do mundo – Apple – divulga hoje os resultados do último trimestre.
Normalmente, a Apple ultrapassa sempre as expectativas dos analistas e a ansiedade de muitos sobre os resultados que serão apresentados é elevada.
A pesar nas receitas e nas margens estarão as vendas do iPad (com mais de 3 milhões de unidades vendidas nos primeiros 80 dias), e as vendas do iPhone 4 (com 3 milhões de unidades vendidas em apenas três semanas – o dispositivo móvel com maior taxa de crescimento).
Podem penalizar os resultados os investimentos nas aquisições aquisições das empresas: Quattro Wireless(mobile), Lala, Siri, P.A. Semi e esta semana a Poly9.

Read More

Apple: Depois da “Tempestade”…

Afinal, a “Tempestade” criada em volta do problema da antena do iPhone 4 que ficou baptizada como “Antennagate”, não passou de uma curta tempestade.

Na conferência de imprensa de sexta-feira, Steve Jobs explicou o “problema” que afinal é comum a outros telemóveis/Smartphones (veja a análise comparativa que a Apple efectuou), e que não gerou reacções como aconteceu com o iPhone 4. Na verdade as variáveis sobre recepção de sinal não dependem apenas do dispositivo… qualquer utilizador de telemóvel já teve problemas na recepção.

Sobre a conferência e respectivos impactos no mercado aqui deixo alguns dos factos que considero mais relevantes:

– No dia anterior à conferência, surgiu no YouTube a música “The iPhone Antenna Song” criada por Jonathan Mann (um fã da Apple). O vídeo teve destaque em vários sites e blogs de referência. Até agora teve mais de 450 mil visualizações.

– Na abertura da conferência, antes mesmo de Steve Jobs entrar em palco (e para surpresa de muitos), é exibido o video “The iPhone Antena Song” (que antecipou muito do que Steve Jobs tinha para dizer).

Video com a conferêcia de imprensa de Steve Jobs


Destaques da apresentação de Steve Jobs:

Apple numa “Tempestade de Merda”

A saída de Steve Jobs da Apple em 1985 foi provocada por incompatibilidades e maus relacionamentos com o o CEO John Sculley e com Steve Wozniak(co-Fundador da Apple).
Steve Jobs e Steve Wozniak ficaram anos sem se falarem.
A polémica por causa do problema com a antena do iPhone 4 provocou na Apple uma verdadeira tempestade. A definição correcta foi dada por Dave Winer (“pai dos blogs e RSS”): “Apple numa Tempestade de Merda”